23/04/2022 às 11h13min - Atualizada em 23/04/2022 às 11h13min

Câncer de pele: dermatologista explica o que é e como prevenir essa condição

Beleza extraordinária
Foto: Divulgação
O câncer de pele é um tipo de doença que pode ser ocasionada por predisposição genética ou pela exposição excessiva da pele aos raios solares sem a devida proteção. O câncer de pele pode se manifestar na pele através dos primeiros sinais que aparecem como lesões e ferimentos na derme que vão se intensificando com o passar do tempo.

Para tirar todas as dúvidas, sobre como o câncer de pele pode surgir e quais são os tratamentos, a Dra. Fabiana Wanick, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Cirurgia Dermatológica, separou algumas informações sobre essa condição.

O que é câncer de pele?
A Dra. Fabiana Wanick define o que é o câncer de pele e explica como ele pode ser identificado. “O câncer de pele é uma alteração maligna de algumas células da nossa pele. Essas células começam a proliferar e crescer com uma velocidade diferente, uma uma velocidade acima do normal. E você pode ter diferentes células produzindo isso, então existem células da epiderme, da camada basal e os melanócitos, por isso têm diferentes tipos de câncer de pele”, detalha.

“Se for a célula camada basal, por exemplo, o câncer de pele é classificado como carcinoma basocelular. Se as células forem da epiderme, que chamamos de células escamosas, o câncer de pele é classificado como carcinoma escamoso ou carcinoma epidermóide. Agora o câncer de pele originário dos melanócitos vai ser classificado como um melanoma, que é o tipo mais agressivo de câncer de pele”, classifica a dermatologista.

O que causa o câncer de pele?
A dermatologista também destaca que os principais causadores do câncer de pele são a predisposição genética e a exposição excessiva ao sol sem proteção. “Se a gente pensar em melanoma, existe uma causa ligada à tendência genética. Por isso, se você tem histórico familiar é necessário evitar exposição solar sem proteção, contar aos médicos sobre esse histórico e visitar o dermatologista regularmente.”

“Como a pele é um órgão que está muito exposto à radiação ultravioleta, o principal causador de câncer de pele é a exposição solar. Isso acontece principalmente quando o sol entra em contato com a pele de forma intensa em horários de maior incidência dos raios UV”, ressalta a dermatologista Fabiana Wanick. Além disso, a Dra. Fabiana Wanick destaca comportamentos e hábitos que podem colaborar para o desenvolvimento do câncer de pele. “Existem outras coisas que são cancerígenas de um jeito geral, por exemplo, se você fuma, você aumenta o risco de câncer. Além do fator genético que também pode contribuir para o desenvolvimento, e isso quer dizer você está juntando dois fatores de risco, como o tabagismo e a exposição solar intensa e o ideal é que a gente não some causadores, por isso é necessário utilizar o protetor solar diariamente para amenizar essa causa”, ressalta.


Quais são os sintomas do câncer de pele?
Além dos sintomas do câncer de pele, alguns sinais na pele e nos organismos podem ser percebidos para que ajude a identificar os primeiros sinais do câncer de pele. “Os sinais do câncer de pele são os mais fáceis de perceber porque conseguimos ver. O sinal de um câncer de pele normalmente é uma lesão, ela pode ser avermelhada, áspera ou lisa. Essa lesão pode sangrar espontaneamente ou pode ser uma lesão escura, mais acinzentada e que tem a borda irregular”, detalha.

Agora, quando falamos de sintomas do câncer de pele, a dermatologista esclarece que os sintomas são mais variados e que os sinais que aparecem na pele podem ser os melhores indicadores. “O principal sintoma do câncer de pele é o aparecimento de ferimentos, que pode ser considerado um sinal que está se expandindo rapidamente. Mas não existe nada que seja certeiro na indicação de câncer de pele, é muito mais o sinal que o sintoma”, explica.

Câncer de pele tem cura? Conheça o tratamento
O câncer de pele tem tratamento e para melhor chances de cura dessa condição é necessário fazer o diagnóstico o mais rápido possível. Por isso, é importante estar atento aos sinais da pele e manter consultas regulares com o dermatologista.

“O câncer de pele tem cura se ele for diagnosticado rápido. Dependendo do tipo de câncer de pele você tem mais chances de cura. Por exemplo, o câncer de pele o carcinoma basocelular em geral é um câncer de pele bem delimitado que não dá metástase e você pode fazer ou tratamento com creme ou com cirurgia. O carcinoma epidermóide é mais ou menos a mesma coisa, mas esse tipo de câncer de pele tende a invadir um pouco mais o organismo”, explica.

Agora o melanoma é um tipo de câncer de pele mais grave, então neste caso quanto mais cedo ele for diagnosticado maior são as chances de cura. Por isso a importância de ir ao dermatologista sempre que você perceber algum sinal, alguma lesão diferente no seu corpo ou alguma lesão antiga no corpo que se modificou. Por isso é importante você conhecer sua pele e poder diagnosticar essas alterações”, detalha a dermatologista.

Como prevenir o câncer de pele?
Para prevenir o câncer de pele é necessário proteger a pele com o uso diário do protetor solar, além disso, atribuir esse cuidado à adoção de hábitos saudáveis. “Para evitar o câncer de pele é necessário evitar a exposição solar exagerada além de evitar fatores de risco como tabagismo e o consumo excessivo de carnes e embutidos”, ressalta a dermatologista.

“Além disso, é preciso ter cuidados ao se expor ao sol. O ideal é que a gente não se exponha ao sol sem proteção, por isso é necessário o uso do protetor solar, chapéu, óculos ou blusa com proteção UV, tudo dependendo da intensidade dos raios solares”, explica a Dra. Fabiana Wanick.

Para proteger a pele do rosto contra a ação dos raios solares, aposte no uso dos protetores solares faciais que proporciona hidratação para pele e atrelado ao protetor solar facial oferece uma proteção solar hidratante para o seu rosto.

O que aumenta o risco?
A dermatologista ainda destaca os eventos que favorecem o risco de desenvolvimento do câncer de pele. “O que aumenta o risco é você sofrer queimadura solar, por exemplo aquela pessoa que todo verão fica muito queimada, tem bolha e descasca toda hora. Sempre que você tiver queimadura solar você está se colocando em risco de ter câncer de pele e no futuro, e normalmente a gente só percebe isso depois que o estrago já está feito”, alerta.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »