18/09/2018 às 10h02min - Atualizada em 18/09/2018 às 10h02min

Ativista caminha 3 mil km descalço na Nova Zelândia pelos animais

Redfern-Hardisty irá caminhar pela Nova Zelândia para arrecadar dinheiro para os animais e protestar contra o fechamento de seu café vegano

ANDA - Agência de Notícias de Direitos Animais
A Cool Beans Cafe foi obrigada a fechar devido a decisão de tirar leite animal do cardápio (Foto: Plant Based News)
O dono de um café prometeu andar 3 mil km descalço em toda a extensão da Nova Zelândia e arrecadar dinheiro para a causa vegana. Morgan Redfern-Hardisty realizará a ação “para aqueles que não podem falar”.

A caminhada é uma resposta ao encerramento forçado de sua cafeteria, Cool Beans Cafe, devido à sua recusa em servir leite lácteo. Em julho, Redfern-Hardisty atualizou seu menu, retirando o leite animal e oferecendo em troca seis opções de leite sem laticínios, incluindo soja, aveia, centeio, coco, avelã e leite de amêndoa caseiro.

“Minha intenção era puramente reduzir o impacto do café no meio ambiente, fornecer alternativas saudáveis ​​e não usar e explorar animais de qualquer maneira”, disse ele.

No entanto, o Charity Trust Mangawhai Activity Zone (MAZ), que detém as instalações e paga os custos gerais do café em troca de uma porcentagem dos lucros, exigiu que o cardápio incluísse opções lácteas e, após alegadas reclamações de nove clientes, encerrasse o negócio.

“Há uma tendência acontecendo em todo o mundo em relação a produtos mais ecológicos, éticos e conscientes. Quando as pessoas viram um pequeno café como o meu fazer essa mudança, eles deram muito apoio”, disse Redfern-Hardisty.

Ele anunciou que infelizmente fechará seu negócio em 22 de outubro. Uma petição online, que foi lançada para convencer a MAZ a reconsiderar sua decisão de rescindir o acordo comercial, já recebeu mais de 15 mil assinaturas em duas semanas.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »