19/07/2018 às 08h45min - Atualizada em 19/07/2018 às 08h45min

Haters

Júnior Borges, especial para o AtaNews
Foto: Imagem Ilustrativa
Recentemente o vereador Rivael Papinha reclamou das ofensas recebidas na Internet. Veja que o termo “ofensas” não tem relação com apontamentos ou sugestões sobre a política municipal. Ou seja, são textos agressivos direcionados a certa pessoa.

 Esse é um comportamento exclusivo do internauta araçatubense? Claro que não! Recentemente o professor americano de psicologia, John Suler, fez um estudo dessa prática e o materializou em seu artigo:The PsychologyofCyberspace. Suler chamou de “Efeito de desinibição online” e fez uma lista de características que nos ajudam a entender e lidar com esses agressores, mas para não estender muito destaco abaixo as três principais (adaptados).

 Sensação de poder pelo anonimato/invisibilidade¹: A ideia de não ser identificável estraçalha os limites que a pessoa teria em uma interação física. Não há qualquer receito de ser responsabilizado pela fala, visto que – na pior das hipóteses – basta excluir a personagem criada.

 Confusão entre mundo real e virtual²: A pessoa não enxerga as consequências que as atitudes virtuais geram no plano físico. Ela vê o outro como um avatar do GTA que pode ser agredido de todas as formas, pois tudo voltará ao normal quando desligar o videogame.

 Assincronicidade³: No mundo real você fala e é obrigado a ouvir a devolução de suas ideias, mesmo que contrária aos seus pensamentos. Isso é a sincronia da comunicação. Já no plano virtual tal processo não é exigido. O indivíduo pode apenas falar por falar. Não há intenção de diálogo. Seu objetivo é mostrar para rede que ele é muito bom em ofender alguém.

 Perceba que falamos apenas de algumas características, portanto há outros fatores que geram o ódio aqui estudado. O importante é entender que não se trata de algo “eventual” e sim de um comportamento humano que pode ser estudado, explicado, trabalhado, evitado ou piorado.

 Ficamos aqui com o verbo evitar. Como evitar isso? Já ouviu o ditado popular: “Bater palma para louco dançar”? É por aí! Os agressores se alimentam de visualização. Eles carecem de atenção na vida real e a buscam na vida virtual de qualquer forma, mesmo que seja através de uma “briga”. Com efeito, a melhor arma que está disponível para qualquer um que está lendo este texto é ignorar. Não dê a recompensa. Desmotive esse comportamento. Qualquer outra tentativa de bater de frente é recompensá-los. É dar a atenção que eles estão buscando a qualquer custo.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »