28/06/2019 às 10h24min - Atualizada em 28/06/2019 às 10h24min

FORA

Tom Nunes

Então me deito

De pensamento elevado

Com a leveza no peito

De um corpo pesado

Aquilo que era denso

Se tornou sutil

Agora não mais penso

Meu corpo sumiu

Sou apenas vibração

Querendo expandir

Não há mais espaço

Preciso logo sair

Minha audição é ampliada

Consigo ouvir tudo

A palavra não é mais falada

Agora me sinto mudo

Finalmente estou fora

Não estou mais limitado

Vejo a luz que me devora

E meu corpo ali deitado

Aqui não existe fome

Aqui não existe sede

tampouco existem portas

teto ou parede

Não preciso dar passos

Para onde quero chegar

Basta a minha vontade

E então posso voar

Ouço flautas pelo caminho

Seres de luz a me guiar

Nunca estou sozinho

Nem preciso esperar

Aprendo com os mestres

O que devo ensinar

A gratidão toma conta de mim

Não exite início

E nem existe fim

O som das esferas

Toca dentro do meu ser

Reverbera o que sou

Posso então  me conhecer

Sigo agora o caminho

Que eu mesmo escolhi

Lentamente vou voltando

De onde me desprendi

Abro os olhos e me levanto

Não preciso mais dormir

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »