11/10/2021 às 17h16min - Atualizada em 11/10/2021 às 17h16min

PELO FIM DA TRAÇÃO ANIMAL EM TODO O BRASIL

É inadmissível, em pleno terceiro milênio, convivermos com cultura retrógrada, advinda da época do Império no Brasil

Há municípios brasileiros ainda muito  enraizados na velha e retrógrada cultura da tração animal, algo que advém do Império e, nas sombras da resiliência, teimam em não enxergar os tempos atuais, onde a modernidade e o progresso substituem inapelavelmente o  atraso.    A tração animal é algo incabível nos dias de hoje. 

Por quê?
Simplesmente, porque pessoas acomodadas e que dispõem  desse recurso abominável  impondo sofrimento aos equinos, se negam a estudar e trabalhar em outra atividade.  A acomodação parece ser marca registrada de parte da sociedade brasileira, há tempos!  


EM BELO HORIZONTE, HOUVE RESISTÊNCIA
vereadora do PSOL (partido que é comunista), defendendo os carroceiros.  Será que ela não sabe que carroças podem ser substituídas por tração motora, via energia elétrica (bateria)?   A esquerda é o atraso!


Para os carroceiros, pouco importa o que os animais estejam sentindo ou sofrendo.  A começar pelo bridão, espécie de embocadura ou cabresto  que os exploradores de equinos colocam na boca dos  animais para dominá-los, conduzi-los, dirigi-los para onde melhor lhes aprouver.  Esse objeto pode causar câncer de boca, em virtude dos ferimentos provocados, quando o carroceiro puxa o animal, utilizando a sua força.  Eles não sabem que provocar dor, maus-tratos é crime previsto na lei 9605/98, artigo 32.   E o pior é que há parlamentares esquerdistas que defendem a utilização da tração animal, para o carroceiro manter seu "trabalho".  Isso ocorreu em Belo Horizonte, quando o prefeito local sancionou a lei municipal 11285 que instituiu o carreto do bem, substituindo gradativamente as carroças por veículos motorizados.  A vereadora do PSOL (partido Socialismo e Liberdade) - defende esse absurdo.  Alguém conhece nação socialista/comunista com direito à liberdade???
A esquerda, indubitavelmente, é um atraso no Brasil!

Essas pessoas exploradoras dos animais via tração, poderiam eles mesmos puxarem as carroças como vejo nas ruas do Rio de Janeiro, principalmente, ao redor das favelas. Todavia, ainda há resistência à mudança.   Não se pode mais admitir, conviver com essa crueldade.  Aqui, no RJ, lutamos muito para pôr fim à tração animal e conseguimos nosso intento no município de Petrópolis, no caso, charretes,  cultura advinda dos velhos e mofados  tempos imperiais. Houve resistência por parte de alguns parlamentares mas que, felizmente, foram votos vencidos.

SUBSTITUIR A TRAÇÃO ANIMAL POR CARRINHOS MOVIDOS A BATERIA

Também, em Paquetá, bairro (ilha),  permitam-me assim expressar-me, o mesmo ocorreu.  O fim das charretes igual a Petrópolis.  Estamos em outros tempos e nesses locais, a tração animal fora substituída por carrinhos motorizados, movidos A bateria, o que pode e deve ser exemplo para o restante dos estados e municípios brasileiros.  Não bastam apenas leis; muitas delas não são divulgadas, como aqui no RJ.  Tal destaque está na lei estadual 7194/16, muito mal regulamentada, uma redação sem definições específicas para colocar um ponto final nesse assunto emblemático que, infelizmente, atravessa os tempos. Inclusive, já me posicionei contrário à regulamentação dessa confusa lei que não define nada, inspirada em narrativa simples e inócua e em desencontro com a realidade. 

LEI ESTADUAL 7194/16 RJ - mal regulamentada

Ainda sobre a lei estadual citada, ela proíbe a tração animal em todo Estado do Rio de Janeiro com exceção das áreas rurais. Todavia, não define absolutamente nada. Por exemplo, se eu vir um carroceiro nessa condição de exploração equina, a quem irei recorrer? À polícia?  Certamente, policiais poderão me informar que nada sabem.   E tem mais: os equinos terão que ser conduzidos a abrigo municipal. 

Quem conduzirá?
Eu sugeri, como medida preventiva, que houvessem placas indicativas, ao redor das favelas, informando tratar-se de crime previsto em lei, a famigerada tração animal. Mas, não há placa indicativa.  É uma lei inócua, sem sentido, para inglês ver.

PARLAMENTARES PRECISAM OUVIR OS QUE ENTENDEM DO ASSUNTO .
É PRECISO EDUCAR NAS ESCOLAS, FACULDADES, PARA FREAR E PÔR FIM AOS MAUS-TRATOS DE  ANIMAIS

 
À luz dos citados fatos, espero que autoridades ouçam, primeiramente, quem entende do assunto para  tomar as indispensáveis  providências legais, ou seja, o surgimento de novas leis protetivas aos animais.

Já afirmei isso reiteradas vezes e insistirei sempre.  É algo incompreensível que uma lei federal não seja suficiente para enfrentar tais desafios. São necessárias leis municipais e estaduais.  Que contrassenso!

Enquanto o povo brasileiro não for conscientizado que não podemos mais maltratar animais;  enquanto não houver nas escolas brasileiras, sejam elas públicas ou particulares, a disciplina a senciência e direitos dos animais, tudo será em vão. Como sabemos, a educação modifica paradigmas e crianças, jovens conscientes e a par do assunto, jamais maltratarão a fauna, seja ela doméstica, domesticável, silvestre ou migratória.  

SANTA CATARINA - escolas ensinam a respeitar os animais   

Eu sempre insistirei no assunto e, graças a Deus, no Estado de Santa Catarina esse modelo educativo para o bem dos animais é realidade. Os alunos aprendem a respeitá-los.   Já enviei, há tempos, tal sugestão para o Congresso Nacional, assim como Assembleias Legislativas e Câmara dos Vereadores de diversos estados e municípios. É a minha luta, minha sina, meu objetivo maior nessa vida - ser útil  à vida dos animais.  Educar para Mudar, esse é o meu lema. Parece o óbvio, mas, como é difícil implementar as necessidades mais simples, necessárias  e fundamentais para o progresso, inclusive, humano!

A herança educacional advinda dos governos esquerdistas, tornaram a Educação incompleta e, por que não dizer, sofrível! 

Por isso, meu discurso e ideal nesse caso é - pelo fim da tração animal em todo território nacional! 

Gilberto Pinheiro é jornalista,
palestrante em escolas, universidades,
destacando a senciência e direitos dos animais.

Cristão e bolsonarista, graças a Deus
nota: pauta sobre defesa animal NUNCA foi
e JAMAIS será exclusividade de esquerdistas.
É de todos que entendem que não devemos 
brincar com a vida e fazer pouco dos animais   

E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará
João 8:32
Link
Gilberto Pinheiro

Gilberto Pinheiro

Amigos dos animais. Somos o coração, a alma, a voz dos animais. Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »