25/02/2021 às 14h11min - Atualizada em 25/02/2021 às 14h11min

GOLFINHOS, OS PRÍNCIPES DOS MARES

Eles são encantadores, inebriam a alma daqueles que assistem seus saltos em mar aberto. São amorosos, não fazendo mal a ninguém e crianças ficam com os olhos brilhando de encantamento, enternecidos e inebriados de amor, pois, eles são, realmente, demais. Refiro-me aos belos e chamativos golfinhos.

Esses cetáceos são considerados uma das espécies mais inteligentes entre todos os animais, muito simpáticos, afáveis, possuindo grande capacidade cognitiva, reconhecendo a si mesmos em reflexos, competência testada em Aquário Nacional de Baltimore, EUA.

Vivem em cardumes, passando, inclusive, conhecimento, principalmente, para os filhotes. Há liderança entre eles e o líder é muito exigente, emitindo sons diferenciados para cada situação diferenciada.

Se um golfinho estiver se afastando dos demais, há um som especial, chamando-o de volta; se houver dois brigando entre si, emite um som mais forte, advertindo-os, chamando a atenção dos mesmos. Entre eles não pode haver distensão. É ordem do líder que zela por todos eles.

Há uma característica singular entre eles: segundo o periódico americano Nature Ecology and Evolution, acreditem, são capazes de reconhecerem-se e chamarem por nome, um a um.

Eu, como estudioso da causa protetiva dos animais, jamais imaginei tal possibilidade entre esses lindos animais. Parece que estão sempre “sorrindo”. Incrível!
Há uma outra identidade bem própria da espécie e bem singular: se algum ser humano estiver se afogando próximo a um deles, a pessoa é levada para a beira da praia pelo animal, uma vez que, não atacam seres humanos, a não ser se houver sangue no local.

Mas, geralmente, salvam essas vidas. Eles são fantásticos e não é à toa que são considerados os príncipes dos mares.
Infelizmente, há algo negativo quando o assunto são golfinhos ou baleias. Trata-se da caça indiscriminada por parte do Japão, na Ilha de Taiji, quando são mortos com requinte de crueldade para exploração comercial da carne desses lindos animais.

Outra parte capturada, é vendida para alguns aquários no oriente. É incompreensível que muitos humanos matem esses lindos animais, dóceis, brincalhões que parecem entender que a vida vale a pena ser vivida, com amor e simplicidade.

É bom lembrar que eles também são seres sencientes, portanto, sentem dor, têm emoções e sentimentos como todos nós. Um dia, creio eu, a Humanidade evoluirá e então saberá respeitar a vida onde ela se manifestar.

É questão de tempo, mas, com certeza, os tempos irão mudar para melhor e pelo bem da fauna em amplo espectro. Por isso, sempre insistirei: tem-se que educar desde a tenra idade nas escolas para pôr-se fim à perseguição a todos animais existente no planeta.
-Eu penso assim!
 
Gilberto Pinheiro é jornalista, palestrante em escolas, universidades, destacando a senciência e direitos dos animais.
Link
Gilberto Pinheiro

Gilberto Pinheiro

Amigos dos animais. Somos o coração, a alma, a voz dos animais. Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »