21/03/2018 às 14h28min - Atualizada em 21/03/2018 às 14h28min

Tinder de adoção vai permitir que animais encontrem novos lares

O projeto irá conectar protetores independentes e ONGs aos adotantes.

ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais
(Foto: Divulgação / Imagem Ilustrativa)
Um novo projeto, que será lançado na primeira quinzena de abril, irá facilitar a adoção de animais resgatados do abandono e de maus-tratos. O Tinder de adoção irá conectar protetores independentes e ONGs de proteção animal aos adotantes. O nome oficial do projeto ainda não foi divulgado.

A iniciativa é da psicóloga Andreia Freitas, de São Paulo, que afirma ser protetora de animais desde criança. Ela, que já resgatou até um morcego e cuidou de mais de 200 animais, os abriga em sua própria casa e em hotéis pagos por ela.

“Pensei nisso [no Tinder de adoção] assim que conheci o Tinder de gente”, conta Andreia. A execução do projeto foi possível a partir de um financiamento coletivo que arrecadou R$ 15 mil, mas a protetora também contribuiu, investindo dinheiro do próprio bolso.

O Tinder de adoção funcionará de forma similar ao original. Entretanto, ele não será um aplicativo, mas sim um site, que por ser responsivo se adaptará aos celulares. Cada entidade de proteção animal poderá cadastrar até 120 animais no projeto, enquanto protetores independentes indicados por elas terão direito a 20 cadastros.

O site, que será operado por meio de geolocalização, mostrará aos possíveis adotantes os animais que estão nas proximidades. O projeto atenderá a todo o Brasil. As informações são do portal Gazeta do Povo.

A idealizadora do Tinder de adoção afirma que a ideia é positiva “para quem está querendo adotar, pela facilidade de encontrar animais num raio de 15 km e dentro das características cadastradas previamente no site”. Além disso, Andreia explica também o benefício que o site irá trazer para quem disponibilizará animais para adoção. “Para quem quer doar, além de um maior alcance, [será] a oportunidade de ter um banco de dados, uma página para organizar todos os seus animais disponíveis para adoção e receber os candidatos já triados”, diz.

Ao se interessar por um animal, a pessoa deve dar like na imagem dele e, sem seguida, responder um questionário que irá garantir que o candidato a tutor pretende adotar de forma responsável. O próximo passo é por conta da ONG ou protetor, que irá entrar em contato com o possível adotante.

Além de auxiliar animais, ONGs e protetores, Andreia afirma que o projeto “ainda vai mapear áreas, fazer levantamentos, ajudando as prefeituras na questão da proteção animal”. O site dará prosseguimento a um trabalho desenvolvido pela protetora em uma página no Facebook denominada “Cachorro de Peruca”, por meio da qual é feita a ponte entre quem quer adotar e quem precisa encontrar um lar para animais resgatados.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »