22/08/2018 às 08h43min - Atualizada em 22/08/2018 às 08h43min

Acabando com o medo de dentista

Assessoria de Imprensa, Naves Coelho
Foto: Divulgação
Quem nunca sentiu medo de realizar um procedimento odontológico, não é mesmo? O medo irracional do dentista lidera com folga o ranking das fobias na área da saúde. Intitulada como “odontofobia”, esse problema é muito mais comum do que pensamos e atinge uma grande parcela dos adultos, superando o número de crianças com medo de ir ao dentista. Seja por uma experiência negativa no passado, os antigos métodos utilizados ou até mesmo o barulho do motor, grande parte da população tem uma razão particular que o leva a temer a consulta odontológica.

A odontofobia transpõe o medo de sentar-se à cadeira do dentista para algum procedimento, pois o simples fato de marcar uma consulta ou ir ao consultório já é um sofrimento.  Tremedeira, respiração ofegante, taquicardia e suor são reações comuns a essas pessoas. Incomodados com esta situação, nós, profissionais da área odontológica, em conjunto com pesquisadores e grandes empresas de materiais odontológicos, trabalhamos incansavelmente para solucionar este problema.
 
Hoje a remoção do tecido cariado já pode ser feita com a aplicação de um gel, que age diretamente na cárie, eliminando o tecido necrosado. O que diminui muito a necessidade do uso do motor. E por falar em motor – o grande causador do temor à consulta com um dentista – hoje ele é elétrico e não mais pneumático, o que significa o adeus ao assustador barulhinho.

Anestesia sem agulha também foi um grande avanço. Atualmente, um dispositivo pulveriza o anestésico para dentro da gengiva, de forma subcutânea sob pressão dosada, ao invés de injetá-lo com agulha. Esta técnica funciona para mais de 90% das técnicas anestésicas.
 
Na implantodontia, os implantes já podem ser feitos sem a necessidade de cortes na gengiva. Através de uma tomografia computadorizada é criado um guia digital para instalação do implante, que é posteriormente impresso em uma impressora 3D. Com esse guia encaixado na boca, o implante é instalado por uma abertura de apenas 2mm. Tudo isso resulta em uma cirurgia mais rápida e segura, com a recuperação incomparavelmente melhor.
 
As sufocantes moldagens também são coisas do passado. Com uma microcâmera, a boca é escaneada e o dentista passa a trabalhar na construção do dente direto no computador. Com o dente pronto, uma unidade fresadora “imprime” o dente em menos de 15 minutos. Essa tecnologia se chama CAD/CAM, e faz com que possamos restaurar um dente com porcelana em uma única consulta.
 
Acredito que, com as novas gerações, o número de pessoas com odontofobia poderá ser zerado ou, pelo menos, reduzido para menos da metade. Pois, com as novas tecnologias implementadas até o momento, podemos quebrar esta barreira que existia entre nós, dentistas, e os pacientes. Além do mais, a cultura de cuidar do corpo como um todo tem crescido consideravelmente com a globalização da informação. O que leva as pessoas a se preocuparem mais em cuidar da saúde e prevenirem problemas.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »