05/08/2021 às 18h04min - Atualizada em 05/08/2021 às 18h04min

Fux cancela reunião entre Poderes após ataques de Bolsonaro a ministros do STF

Presidente será investigado no inquérito das fake news por ataques ao sistema eleitoral brasileiro

Yahoo Notícias
Presidente do STF, Luiz Fux, tinha reunião marcada com chefes do Executivo, presidente Jair Bolsonaro, e presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco - Foto: EVARISTO SA/AFP
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, cancelou nesta quinta-feira (5) uma reunião entre os Poderes que havia sido marcada durante o recesso, após os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso serem alvos de novos ataques por parte do presidente Jair Bolsonaro.

"O Supremo Tribunal Federal informa que está cancelada a reunião outrora anunciada entre os Chefes de Poder, entre eles o Presidente da República. O pressuposto do diálogo entre os Poderes é o respeito mútuo entre as instituições e seus integrantes", afirmou, em um pronunciamento.

Bolsonaro disse nesta quinta-feira (5) que os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso praticam uma “ditadura de toga”. Mais cedo, em entrevista a uma rádio do Rio de Janeiro, Bolsonaro reclamou de Moraes ter determinado investigação contra ele no inquérito das fake news por conta dos ataques ao sistema eleitoral brasileiro, e disse que a hora do ministro do STF vai chegar.

"E a hora dele vai chegar porque está jogando fora das quatro linhas da Constituição há muito tempo. Não pretendo sair das quatro linhas para questionar essas autoridades, mas acredito que o momento está chegando", disse Bolsonaro.

Numa nova escalada na crise institucional aberta com o Judiciário, o presidente também afirmou na quarta-feira (4), em tom de ameaça, que o "antídoto" para a ação não está "dentro das quatro linhas da Constituição".

"Ainda mais um inquérito que nasce sem qualquer embasamento jurídico, não pode começar por ele [pelo Supremo Tribunal Federal]. Ele abre, apura e pune? Sem comentário. Está dentro das quatro linhas da Constituição? Não está, então o antídoto para isso também não é dentro das quatro linhas da Constituição", disse Bolsonaro, em entrevista à rádio Jovem Pan.

O Bolsonaro também tem atacado o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, por conta do voto impresso.

Ministro Barroso presta desserviço à nação brasileira, cooptando agora gente de dentro do Supremo, ou dentro do TSE, como se fosse uma briga minha contra o TSE ou contra o Supremo. Não é briga contra o TSE, nem contra o Supremo, é contra o ministro do Supremo, que é também presidente do Tribunal Superior Eleitoral querendo impor a sua vontade”, acrescentou.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »