22/03/2018 às 11h14min - Atualizada em 22/03/2018 às 11h14min

Orquestra Mundana Refugi se apresenta no Teatro do Sesc Birigui neste sábado (24)

Grupo é formado por músicos brasileiros, imigrantes e refugiados de diversas partes do mundo

Assessoria de Imprensa
Formada por músicos brasileiros, imigrantes e refugiados de diversas partes do mundo, a Orquestra Mundana Refugi se apresenta neste sábado, dia 24, às 20h, no Teatro do Sesc Birigui. No repertório, estarão temas tradicionais da Palestina, Irã, Guiné, Congo e Brasil. Os ingressos são gratuitos e começam a ser distribuídos a partir das 19h. 

As músicas serão interpretadas com instrumentos não muito populares, como o kanun (instrumento de cordas originário do século 10, da região de Farab, no atual Irã), cítara chinesa, bouzouki (da família do alaúde, muito usado na música tradicional grega), e também com outros bastante conhecidos, como acordeom, piano e violino. 

A Orquestra se formou em agosto de 2017 na cidade de São Paulo e tem chamado a atenção de público, imprensa e críticos da área por sua qualidade musical. O grupo surgiu no aniversário de 15 anos da Orquestra Mundana, criada pelo compositor e multi-instrumentista Carlinhos Antunes para reunir músicos profissionais de diversas etnias e culturas que residem em São Paulo ou estão de passagem pela capital paulista. 

À formação original da Orquestra Mundana, que já contava com músicos da França e de Cuba e de diversas regiões do Brasil, foram somados músicos e cantores da Palestina, Síria, Congo, Haiti, Irã e Guiné-Conacri. O processo de formação da Orquestra Mundana Refugi se deu ao longo de dois meses do projeto REFUGI, do Sesc São Paulo, que ofereceu oficinas musicais gratuitas para imigrantes e refugiados e realizou uma série de ensaios abertos para que o público pudesse acompanhar o processo em toda sua riqueza e dinamicidade. 

O projeto REFUGI, idealizado por Carlinhos e pela assistente social Cleo Regina Miranda, surgiu com o objetivo de, principalmente por meio da música, acolher e integrar pessoas que por escolha ou necessidade hoje têm a cidade de São Paulo como sua casa. Além da formação da orquestra, foram realizadas diversas oficinas e bate-papos, sempre no Sesc Consolação, com o objetivo de contribuir para a diminuição das barreiras do preconceito e de gerar conhecimento, promovendo o encontro e a troca de experiência entre pessoas. 

O primeiro álbum da Orquestra foi lançado em novembro de 2017 pelo SESC São Paulo em todas as plataformas digitais, e a versão física estará disponível também pelo Selo Sesc em breve.  

A orquestra é formada por: 
 
Carlinhos Antunes - cordas e direção musical - Brasil
Abou Cissé - percussão - Guiné-Conacri
Arash Azadeh - kemanche - Irã
Beto Angerosa - percussão - Brasil
Claudio Kairouz - kanun árabe - Brasil
Daniel Muller - acordeon - Brasil
Danilo Penteado - piano - Brasil
Hidras Tuala - voz - Congo
Leonardo Matumona - voz - Congo 
Luis Cabrera - saxofone - Cuba
Mah Mooni - voz - Irã
Maiara Moraes - flauta - Brasil
Mariama Camara - voz e percussão - Guiné-Conacri
Mathilde Fillat - violino - França
Nelson Lin - cítara de martelo - Brasil/China
Oula Al-Saghir - voz - Palestina/Síria
Paula Mirhan - voz - Brasil
Pedro Ito - bateria - Brasil
Rui Barossi - contrabaixo - Brasil
Yousef Saif - bouzouki – Palestina

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »