16/01/2020 às 13h30min - Atualizada em 16/01/2020 às 13h30min

Zoológico de SP registra nascimento de chimpanzé, espécie em perigo de extinção

Equipe técnica acompanha crescimento do filhote à distância e, até o momento, não foi possível identificar sexo do bebê

Governo do Estado de São Paulo
Foto: Divulgação

O Zoológico de São Paulo confirmou o nascimento de um chimpanzé Pan troglodytes, espécie originária do continente africano e classificada como em “Perigo de Extinção” pela organização International Union for Conservation of Nature (IUCN), em razão da destruição contínua de seu habitat e da caça furtiva, entre outros fatores. O fato ocorreu em 19 de dezembro de 2019.

Os pais, Tina e Pepe, com 22 e 15 anos de idade, respectivamente, nasceram no Zoológico de Lisboa e foram doados ao Zoológico de São Paulo em 2006 por recomendação do European Endangered Species Programmes (EEP), programa europeu de manejo e conservação de espécies ameaçadas de extinção que visa à manutenção e sustentabilidade de populações sob cuidados humanos.

A ação tem o objetivo de salvaguardar a saúde genética e demográfica, bem como a elaborar planos de manejo de algumas das espécies mais vulneráveis do mundo. O programa também contempla o desenvolvimento de pesquisas científicas, protocolos de bem-estar animal, proteção do ambiente natural e ações educativas junto aos visitantes.

Este é o segundo filhote de Tina, que também é mãe da fêmea Vitória, nascida no Zoo de São Paulo em 2007. A família convive com outros cinco chimpanzés adultos: Faustina (35 anos), Maria Pia (33), Pipa (18), Cuca (17) e Lulu (12), nascida na instituição.

Por serem animais extremamente fortes e inteligentes, a segurança requer atenção dobrada. De acordo com a Instrução Normativa IBAMA nº 7 de 30 de abril de 2015, os chimpanzés são classificados o Nível III de Segurança, ou seja, durante o manejo, o contato deve ser protegido.

Dessa forma, a equipe técnica acompanha o comportamento do grupo e o crescimento do filhote à distância e, até o momento, não foi possível identificar o sexo do bebê, que está sob os cuidados intensivos da mãe, que o carrega durante todo o tempo nesta fase de maior fragilidade.

Onívoros, chimpanzés recebem diariamente alimentação balanceada preparada pela Divisão de Nutrição Animal, composta por grande variedade de legumes, verduras, frutas, ração para primata, carne bovina e suína. A dieta é oferecida ao longo do dia, fracionada em três porções, além de 2 litros de suco de fruta que varia entre goiaba, maçã, melão e banana.

Em virtude da fase de lactação, que exige um alto gasto energético para a produção do leite, Tina recebe um reforço alimentar com direito a iogurte natural e maior consumo de sucos, além do aumento de 20% na alimentação geral para o grupo, que é compartilhada com a lactante.

Atividades

Conduzida pelo Programa de Enriquecimento Comportamental Animal (PECA), frequentemente ocorrem atividades de enriquecimento aos chimpanzés, que consiste na introdução de variedades criativas no recinto para tornar o ambiente mais complexo, dinâmico e menos previsível.

O tipo de alimento e a maneira como ele é oferecido (camuflado, inteiro ou congelado), assim como a presença de vegetação, barreiras visuais, substratos, estruturas para se pendurar ou balançar (como cordas, troncos ou mangueiras de bombeiro), sons com vocalizações, ervas aromáticas e odores de outros animais, são maneiras de se enriquecer recintos em zoológicos, estimulando comportamentos naturais da espécie e, assim, contribuir com o bem-estar animal.

O grupo de chimpanzés permanece com a rotina no Zoo, podendo ser visto em área de exposição, inclusive a mãe com o filhote. Dessa forma, o público poderá conhecer o novo morador e, se der sorte, observar o momento da amamentação e o banho de sol nas primeiras horas do dia.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »