01/11/2019 às 11h12min - Atualizada em 01/11/2019 às 11h12min

“Religião e política não se discute.”

Quem nunca ouviu esta máxima?

Marcelo Oliveira
Esta frase está longe de estar correta; basta olharmos ao nosso redor as conseqüências de nossa omissão, tantos ladrões na política quanto clérigos obtendo enriquecimento imoral. Sem considerar escândalos sexuais e outros embustes.

Alguns dirão se tratar de assuntos "polêmicos", mas estes apenas desconhecem o real significado da palavra quando a imputam sinônimo de hostilidade, pois polêmica significa tão somente a apologia de uma tese, sendo esta pautada por fatos e argumentos sólidos e imperiosos.

Enfim, estes assuntos são meus preferidos e os que tratarei, em sua maioria, nesta coluna.
Comecemos então pelo início, tratando da observação de correlação entre estes dois temas.

Religião e política estão ligados desde cedo e podemos observar isto nas civilizações antigas, como a grega, por exemplo.

O Paternon, famoso templo grego, está localizado na parte mais alta da cidade, parte mais facilmente defensável da antiga cidade. Os atenienses queriam proteger seu templo porque seu sistema político era baseado em sua religião.
Assim era com assírios, judeus, babilônios, assim como é nos dias atuais.

Políticos são eleitos, fazem leis, regulamentam, e controlam. Assim, toda lei decretada e toda decisão tomada é baseada em algum sistema moral e toda moralidade é baseada em uma religião.
 
A Bíblia diz: "Não furtarás"; temos a base das leis contra roubo. 
A Bíblia diz: "Não dirás falso testemunho" e esta é a base das leis contra difamação e calúnia.

Por isso podemos afirmar que nossa crença religiosa afetará nossas crenças e práticas políticas.

Se limitando ao cristianismo, na realidade moderna e contemporânea temos o Liberalismo teológico minando as bases da igreja e isto se reflete na política.
Este processo influenciou, Marx e Engels através de Hegel e teólogos alemães, como Ludwig Feurbach.

Hegel disse que "o Estado é Deus andando sobre a terra". O Marxismo é a adoração do Estado como deus. Por isso o combate incansável à Bíblia e religiões por progressistas e afins.

Vemos então que religião e política estão intrinsecamente ligadas e isto, acima de salutar, é extremamente necessário.
Pessoas sem moral não possuem limites e, no poder, acabam causando danos profundos em uma nação. Não preciso nem buscar em livros de história um exemplo, pois vivemos um.


"Marcelo Oliveira, teólogo e ativista político, apaixonado por leitura"


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »