26/09/2018 às 09h34min - Atualizada em 26/09/2018 às 09h34min

13 nascentes já foram cadastradas pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentado

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentado vem realizando um levantamento e caracterização das nascentes do município. O trabalho começou esse ano e a equipe técnica da pasta teve como prioridade de início as nascentes pertencentes ao Córrego Baixote e seus afluentes, pois é o curso d´água responsável pelo abastecimento de água do município.

Foram visitadas e fotografadas nesta primeira fase de visitas a campo 13 nascentes, sendo que 12 estão caracterizadas como Degradadas e uma Perturbada. 

“Precisamos conhecer para preservar. Como cuidar daquilo que não conheço? O levantamento proporciona saber quantas nascentes temos e como estão, pois as nascentes abastecem os riachos, córregos e cursos d'água que por sua vez abastecem os rios. Se não houver a proteção das nascentes, menor será a vazão de água disponível, os cursos d'água podem secar e a qualidade das águas será prejudicada, afetando todos os seres vivos que dependem dela para sobreviver”, explicou o secretário municipal de Meio Ambiente, Juliano Salomão.

Segundo o secretário, a Prefeitura de Birigui confeccionou um cronograma de Recuperação Hídrica das Nascentes, de 1 a 12 anos para conclusão. Como a maioria das nascentes estão em propriedades rurais privadas, a administração municipal iniciará, ainda esse ano, ações de incentivo aos proprietários rurais na recuperação ambiental dessas nascentes, além de cadastrar esses proprietários no Programa Nascentes do Governo do Estado de São Paulo.

“O Programa alia a conservação de recursos hídricos à proteção da biodiversidade por meio de uma estrutura institucional inovadora, prevendo recuperação sem custo para os proprietários. Ele otimiza e direciona investimentos públicos e privados para cumprimento de obrigações legais. Sendo assim, empresas podem realizar pagamentos ambientais em outros locais como recuperação de nascentes”, falou Salomão.

“Doze nascentes estão degradadas devido a falta de vegetação nas nascentes, nas Áreas de Preservação Permanente (APP) e em seu entorno. Os usos predominantes encontrados nas áreas foram a pastagem e a agricultura”, completou o secretário municipal de Meio Ambiente.

A Secretaria de Meio Ambiente informou ainda que o levantamento é pioneiro, tendo em vista a parceria entre poder público e iniciativa privada e que, ainda este ano, a administração irá receber  um levantamento de nascentes das áreas urbana e rural, sendo que com a ajuda da população outras nascentes serão incluídas na listagem. Caso o cidadão indique uma nascente, a equipe técnica irá verificar se faz parte do banco de dados e, se for caso, o local será visitado e a nascente inserida no projeto. Estes dados estarão disponíveis a todos.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »