04/09/2018 às 10h55min - Atualizada em 04/09/2018 às 10h55min

Pedidos feitos em carta escrita por alunos da E.M. “Olyntho Mancine” podem virar lei em Três Lagoas

Com o projeto “O Brasil que nós queremos depende de nós. Começamos pela nossa Cidade!” professora incentiva alunos a fazerem pedidos à vereadores da Câmara Municipal de Três Lagoas

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
Alunos do 5º ano da Escola Municipal “Olyntho Mancine” de Três Lagoas foram papel fundamental para indicação de lei que será encaminhada pela Câmara de Vereadores ao Gabinete do prefeito Angelo Guerreiro. Isso devido a uma carta escrita pelos próprios alunos em sala de aula por meio do projeto “O Brasil que nós queremos depende de nós. Começamos pela nossa Cidade!”. O documento relaciona pedidos de melhorias para a Cidade.

A carta, lida pela aluna Ana Clara na 25ª Sessão Ordinária do Legislativo Municipal, rendeu frutos, isso graça ao trabalho da professora Sandra Inês Oliveira Dias, idealizadora do projeto. “A ideia nasceu da moda da divulgação do quadro do Fantástico da Rede Globo ´O Brasil que nós queremos´, quando resolvemos mudar o foco mostrando a preocupação que precisamos ter de cuidar da nossa Cidade para depois pensar no Brasil”, disse.

Alguns dos pedidos das crianças, no entanto, já são executados pela Administração Municipal por meio de projetos. Entre esses pedidos estavam o auxílio para pessoas “necessitadas, principalmente moradoras de rua”, realizado pelo Centro POP – Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua e Abordagem Social e “melhoria das ruas”, algo previsto no Cidade em Obras.

PROJETO

No projeto “O Brasil que nós queremos depende de nós. Começamos pela nossa Cidade!” os alunos trabalharam a Copa do Mundo com o desejo do Brasil ser campeão; o que desejavam para a Cidade na área da saúde, educação, lazer, nascendo assim a carta que foi escrita pela professora com base no que os alunos transmitiam para ela em sala de aula.

“Pedimos autorização no Legislativo para nossos alunos levarem a carta para os vereadores terem conhecimento. Para nós, esse é um grande avanço, pois são alunos do 5º ano que estão se conscientizando do que é o Brasil e o que eles querem para o futuro”, explicou Sandra.

Ainda segundo a professora, o projeto é importante porque motiva os alunos, antes de ser realizado, durante e depois de finalizado, levando mais conhecimento.

“Quando se fala em criança não se acredita que ela tem a capacidade de fazer uma boa leitura e ter persuasão naquilo que ela está falando. A nossa aluna Ana Clara leu com convicção a carta que ajudou a escrever com os seus colegas e emocionou a todos que estavam presentes, pois ela falou com firmeza, sabendo o que ela estava pedindo por estar lendo um documento que foi construído por eles, não era algo automático”, relatou.

Para o diretor Jeferson Martins, “o projeto que a professora Sandra está participando vem ao encontro com a proposta que nós desenvolvemos aqui na escola sobre a valorização e o trabalho de temas transversais, tais como valores humanos. Essa experiência das crianças na Câmara Municipal foi essencial para elas conhecerem a Casa de Leis e como funciona o processo legislativo”, comentou.

DANDO VOZ PARA AS CRIANÇAS

Os alunos João Pedro Oliveira e Kaick dos Santos, 11 anos, acharam interessante o projeto da professora por ter a oportunidade de falar o que pensavam sobre a Cidade. “Queria que melhorasse a nossa Cidade em vários aspectos e me achei importante quando ouviram nossa opinião”, disse João Pedro.

Já Maria Isabele Ferreira, também de 11 anos, disse que achou o projeto muito importante porque “conhecendo a Câmara a gente pode buscar ser no futuro um prefeito ou vereador, tendo também responsabilidade como crianças de saber o que está acontecendo para no futuro termos a oportunidade de melhorar”, finalizou.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »