02/08/2018 às 11h19min - Atualizada em 02/08/2018 às 11h19min

Seleção paralímpica de natação busca resultados no Parapan-Pacífico na Austrália

Competição entre 19 países será realizada na cidade de Cairns, de 9 a 13 de agosto. Os 15 brasileiros já estão no país para treinamento e adaptação ao fuso horário

CBJ
A seleção brasileira paralímpica de natação disputa a competição mais importante do ano para a modalidade na próxima semana, o Parapan-Pacífico de Natação 2018. Entre os dias 9 e 13 de agosto, a delegação de 15 atletas brasileiros compete em Cairns, Austrália, com representantes de outros 18 países.

A delegação embarcou no sábado (28) para a Austrália. Como a diferença de fuso-horário é de 13 horas, a equipe terá adaptação mais eficiente, tendo dez dias de treinamentos. O Parapan-Pacífico de natação é realizado a cada quatro anos e a sede da competição pode ser apenas na Austrália, Canadá, Estados Unidos e Japão. A edição anterior foi na Califórnia, nos EUA, em 2014.

De acordo com o técnico-chefe da natação paralímpica brasileira, Leonardo Tomasello, o Parapan-Pacífico tem um nível técnico elevado. “Nós vamos encontrar diversos adversários diretos dos atletas, como os australianos, americanos, canadenses, japoneses, então é uma competição muito importante, que dá uma motivação ou dá um objetivo para os atletas se manterem no alto desempenho”, disse o técnico.  

2018-08-01_parapan-pacifico-interna-02.jpg

2018-08-01_parapan-pacifico-interna-02.jpg



Tomasello diz que o principal objetivo do Brasil é se consolidar entre os primeiros do ranking mundial, já pensando nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. “Nós temos alguns atletas que estão consolidados entre os melhores do mundo, eu posso citar o Daniel Dias, Phelipe Rodrigues, Ítalo Pereira, Talisson Glock, que são atletas que sempre estão entre os três melhores do mundo na sua prova, foram medalhistas no Rio (2016) e continuam tendo esse desempenho. E outros atletas que foram convocados, que estão entre os seis do mundo”.

Edênia Garcia está entre as cinco mulheres convocadas para a seleção na competição. Aos 31 anos, a experiente nadadora diz que vem treinando para o Parapan-Pacífico e buscando resultados com foco em 2020. “Eu espero chegar a Tóquio entre as três do mundo para disputar medalha na minha quinta participação em Jogos Paralímpicos, então acho que o foco realmente é esse”.

“Ano que vem a gente tem dois campeonatos muito fortes, que é o Mundial, que garante vaga para as Paralimpíadas, e temos também o Parapan-americano, então são duas competições muito fortes para a reta final que é Tóquio”, lembra a atleta, que nadará as provas 100m livre, 50m costas e 50m livre.

Antes de embarcar para a Austrália, Edênia Garcia deu entrevista para a Agência CAIXA de Notícias falando da importância do esporte para a sua vida e para as pessoas portadoras de deficiência. Confira aqui.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »