24/12/2020 às 11h00min - Atualizada em 24/12/2020 às 11h00min

Infecção urinária

Infecção urinária é uma doença comum, mas pode ser um grande incômodo. Vamos entender como prevenir?

Unimed
Já sentiu vontade de fazer xixi toda hora, mas, ao tentar, sai pouca urina? E sente aquela ardência incômoda na hora de urinar? Esses podem ser sinais de infecção urinária ou cistite. No verão, os casos de infecção crescem e o risco aumenta. Vamos falar sobre isso?
 
Sintomas de infecção urinária e cistite



A infecção urinária e a cistite são doenças comuns que podem acontecer com qualquer um, mas que afeta principalmente mulheres. Estimativas indicam que metade das mulheres já sofreram ou ainda vão sofrer com a infecção no trato urinário.

A diferença entre as duas doenças é que a infecção urinária é causada por bactérias e pode ocorrer em todo o trato urinário (dos rins até a uretra). A cistite é uma inflamação na bexiga que pode se tornar ou não uma infecção. Mas os sintomas de ambas são bem comuns:

Ardor e/ou dor ao urinar
Vontade de fazer xixi toda hora (mesmo que saia pouca urina durante a micção)
Presença de sangue na urina
Dores abdominais


Vale considerar que você pode sentir todos os sintomas ou pode ter só algum deles. Diante de qualquer um, procure seu médico.

Causas da infecção urinária



A infecção urinária pode ser decorrente de vários fatores:

Relações sexuais: a fricção entre os órgãos genitais pode favorecer a instalação de bactérias no trato urinário
Segurar a urina: o hábito de não ir ao banheiro quando dá vontade
Constipação: a prisão de ventre permite a proliferação bacteriana, que pode acabar afetando o trato urinário
Gravidez: a dificuldade em esvaziar completamente a bexiga ou até a dilatação da uretra também pode ser fator de risco para a infecção
Menopausa: as mudanças hormonais podem alterar o pH e favorecer a presença de bactérias

Fatores como higiene inadequada da área genital, questões hormonais, diabetes, imunodepressão, obstrução dos canais pelos quais a urina passa (pedra nos rins, por exemplo) também podem causar a doença.

As infecções da bexiga são menos frequentes em homens mais jovens. Em homens com idades mais avançadas, a infecção urinária pode ocorrer com mais frequência. Com mais de 50 anos, a infecção da bexiga geralmente está associada ao aumento da próstata ou a uma infecção da próstata.

 Como se prevenir e evitar infecção urinária



Para se precaver de uma infeção urinária (bexiga e rins), é importante se hidratar bem, bebendo, em média, dois litros de água por dia, para “enxaguar” o trato urinário.

E nada de segurar o xixi! É preciso ir ao banheiro sempre que surgir a vontade de urinar e também é recomendável urinar após as relações sexuais.

Aliás, a higienização correta dos órgãos genitais é essencial: ao usar papel higiênico, comece pela região vaginal, indo em direção ao ânus, e não o contrário – faça o mesmo com as bebês e ensine as meninas mais jovens!

Outros pontos a observar, são:

Dê preferência para roupas íntimas de algodão, ao invés de tecidos sintéticos
Cuide da sua imunidade com uma alimentação saudável
Busque regularizar o ritmo intestinal para evitar a prisão de ventre (constipação) – o que pode ser feito com uma alimentação adequada e, também, com a orientação adequada de um médico especialista


No verão, o risco de infecção urinária aumenta porque há uma tendência maior para frequentar praias e piscinas e, também, para a desidratação. Durante essa estação, dobre os cuidados e evite ficar de sunga/biquíni/maiô molhado por muito tempo e, claro, beba ainda mais líquidos, como água, sucos naturais e água de coco.

Tratamento para infecção urinária



Teve um ou alguns dos sintomas que citamos aqui? A melhor coisa é procurar seu médico! O diagnóstico é feito pelos sinais clínicos relatados pelo paciente e, provavelmente, o médico pede um exame de urina para diagnosticar o tipo de bactéria que causou o problema.

No entanto, é bem comum que o médico já prescreva um antibiótico para combater a infecção rapidamente.

Se o problema for recorrente (duas ou mais infecções por ano), informe ao médico também. Ele pode passar um tratamento mais prolongado de acordo com seu caso. Ou, então, investigar outras possíveis doenças associadas.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »