11/12/2020 às 08h51min - Atualizada em 11/12/2020 às 08h51min

Qual o impacto das eleições americanas na Bolsa de Valores do Brasil?

Saiba as principais consequências das eleições norte-americanas na Bolsa de Valores brasileira e como isso afeta o cotidiano da população.

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
A busca por informações sobre a previdência regressiva ou progressiva, índice Ibovespa e carteiras de investimentos estão em alta nos últimos tempos, por causa da pandemia do novo coronavírus e de uma maior preocupação das pessoas com o futuro.

Nesse sentido, um dos pontos que impactaram muito o mercado financeiro foi a eleição para presidente dos Estados Unidos neste ano. Em 03 de novembro de 2020, o democrata Joe Biden foi eleito com cerca de 51,1% dos votos.

Segundo pesquisas, essa foi a eleição com maior participação popular da história norte-americana nos últimos 56 anos.

Contudo, a eleição do presidente da maior nação econômica e militar do planeta trará (e já demonstra) impactos em todos os países, inclusive para o Brasil.

Portanto, para que você saiba detalhadamente como a eleição de Biden influenciará o Brasil, selecionamos as principais repercussões que a vitória do democrata já mostrou à nossa Bolsa de Valores e setores mercadológicos. Confira e boa leitura!
 

Principais impactos das eleições nos EUA no Ibovespa

As consequências das eleições de presidente dos EUA já começaram a ser sentidas em nossa Bolsa de Valores logo após as eleições, em 03 de novembro.

Veja as principais consequências percebidas e algumas previsões para o futuro:
 

Aumento de investimentos de risco

Durante o mandato do ex-presidente Donald Trump, investidores e todo o mercado pareciam evitar a todo custo investimentos de alto risco. Afinal, Trump travou uma forte guerra comercial contra a China e isso deixou todos receosos sobre o que ele poderia fazer.

Além disso, Trump era um estadista polêmico e em diversas situações deu declarações que fizeram as Bolsas de Valores de todo o planeta despencaram. Isso ocorreu inclusive com o nosso Ibovespa.

Entretanto, com a vitória de Biden os especialistas econômicos acreditam que os investimentos de risco devem voltar com tudo. Isso porque o democrata mostra uma conduta:
 
  • Mais estável, serena e com desejo de ter boas relações exteriores;
  • Biden prometeu fazer um forte pacote de estímulos para a economia norte-americana com vistas ao desenvolvimento e crescimento financeiro do país.
 

Biden é favorável à política “verde”

Especialistas de mercado mostram que essa pode ser uma boa hora de se investir em:
 
  • Empresas sustentáveis;
  • Companhias que adotam a economia circular em suas práticas e produções;
  • Empresas que atuam com energia limpa e/ou reciclagem.

Essa dica dos estudiosos não é ao acaso. Joe Biden é entusiasta deste tipo de política e prometeu incentivar empresas norte-americanas adeptas ao “Environmental, Social and Governance” (ESG). Em tradução livre, é algo como “Ambiental, Social e Governança”.
 

Mudanças em políticas fiscais

Além da questão ecológica, Biden fez algumas promessas na sua campanha em relação a políticas fiscais. Duas delas impactam diretamente os investidores brasileiros. São elas:
 
  • Biden irá aumentar impostos para as empresas que estão nos EUA. Sejam elas norte-americanas ou multinacionais. Ao contrário de Trump, que diminuiu impostos, ele pretende subir a tributação de 21% para 28%;
  • Além disso, empresas de tecnologia devem sofrer mais cobrança de impostos. Ou seja, investidores em ações de empresas como Amazon, Apple, Facebook e outras podem ver suas ações caírem muito com esse tipo de medida.
 

Como as eleições dos EUA impactam a nossa rotina?

Se você acha que essa realidade não faz nenhum sentido na sua vida rotineira e que os Estados Unidos estão muito longe daqui, saiba que não é bem assim.

Veja abaixo 3 impactos diretos dos resultados das eleições nos EUA na nossa vida e até no nosso dia-a-dia. Confira!
 

Brasil e a OCDE

Depois que o governo Bolsonaro aceitou fazer parte da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) nosso país passou a não ter mais benefícios de nações emergentes e precisa cumprir certos critérios.

Essa situação de manterá no governo Biden e alguns cientistas políticos afirmam que o Brasil perdeu “voz” e autonomia para falar sobre temas como:
 
  • Questões ambientais sérias;
  • Menor proteção aos seus produtos nacionais;
  • Quebra de patentes;
  • Até mesmo direito intelectual.
 

Exportação de alumínio e também de aço

Ainda não se sabe ao certo como ficará a questão da exportação de alumínio e de aço para os EUA após a vitória de Biden.

Contudo, o que sabemos é que o governo de Trump barrou a compra desses produtos estrangeiros pelos EUA (principalmente os originários do Brasil).

Nesse sentido, a pandemia também atrapalhou a exportação, mas o maior impacto foi essa medida anti brasileira feita por Trump. Estima-se que a exportação de aço e alumínio brasileiros caiu em torno de 25% em 2020.

Vale ressaltar que essa foi a maior queda de todo o setor, nos últimos 11 anos. Especialistas torcem para que Biden reverta essa situação pelo bem da economia e também dos nossos trabalhadores da área.
 

O dólar vai aumentar ou cair?

Depois da vitória de Joe Biden, o dólar estabilizou-se e chegou a ter algumas quedas. Isso é muito positivo, pois o aumento de valor da moeda americana estava a todo vapor e as demais moedas do mundo estavam em plena desvalorização.

Economistas e estudiosos afirmam que a tendência é que o dólar fique mais baixo e estável. E que nossa Bolsa de Valores suba e fique em alta.

Mesmo com incertezas no mercado, busca pela cura do coronavírus e instabilidade, a vitória de Biden ocasionou uma boa e forte recuperação do Ibovespa.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »