16/09/2020 às 10h57min - Atualizada em 16/09/2020 às 10h57min

Como planejar um roteiro de viagem com quem quer evitar o frio?

Não é todo mundo que curte o clima geladinho da montanha, mas dá para aproveitar o destino mesmo com as temperaturas mais baixas

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
Moramos em um país tropical, no qual, mesmo no inverno, é possível encontrar locais quentes para visitar. Essa é uma dádiva para muitas pessoas que são intolerantes ao clima mais frio, seja por motivo de saúde, como hipotireoidismo, ou por gosto pessoal.
 
No entanto, até quem não tolera bem as baixas temperaturas pode aproveitar o clima ameno e a paisagem das montanhas sem sofrer. Para que isso ocorra, é preciso apenas um fator: planejamento!

Defina o destino

A primeira atitude que deve ser tomada antes de qualquer viagem é escolher o local de destino. Com base nessa informação, basta checar como é o clima de lá em diferentes épocas do ano.
 
A região Nordeste, por exemplo, costuma ser quente no verão e chuvosa no inverno. Assim, dependendo do mês que o local for visitado, pode gerar frustração no turista por conta das águas que causam trânsito e atrapalham a visita aos pontos turísticos.
 
Aplicativos e sites de meteorologia também costumam detalhar a previsão para cerca de dez dias. Assim, quando a data da viagem for escolhida, é possível checar com certa antecedência como estará o clima no local a ser conhecido. Isso ajuda bastante na hora de preparar uma bagagem assertiva e pronta para qualquer temperatura.
 

Selecione os passeios

Depois de escolher o destino e a data da viagem, é hora de se preparar para selecionar os passeios que serão feitos naquele local. É sempre bom procurar na internet a opinião de quem já visitou aquele destino para saber o que acharam e se preparar para as variações climáticas.
 
Se o local costuma ventar, tem umidade e o passeio está previsto para acabar de noite, por exemplo, então, convém levar consigo um agasalho ou uma malha leve para se proteger das intempéries.
 
Em lojas de artigos esportivos, há jaquetas “quebra-vento”, feitas de tecido acrílico impermeável, que são leves e dobráveis em pacotes bem pequenos, sendo boa pedida para proteger do frio, sem ocupar espaço ou pesar na bolsa/mochila do passeio.
 
Programar os passeios ao ar livre para os períodos mais quentes do dia também é outra boa opção para aqueles que não gostam de sentir frio. Entre 10h e 15h, a temperatura costuma ser mais alta e há menos chances de desconfortos.
 
Também é válido checar como os turistas vão se locomover pelo destino. Aqueles que optam por alugar um veículo têm muito mais disponibilidade para levar roupas extras e uma troca de sapatos para o caso de o tempo mudar de repente.
 

Lembre-se da calefação

Um bom argumento para levar um friorento para um destino de neve é lembrá-lo de que os locais fechados costumam ser climatizados e bastante protegidos. Dessa forma, além de estar agasalhado, o turista não fica gelado ou desconfortável por causa da friagem.
 
Mesmo que optem por usar transporte público, é importante destacar que os países que são acostumados com a neve contam com calefação nos veículos, nas estações de trem, nos metrô e nos ambientes fechados.
 

Conte com a gastronomia convidativa

O friozinho pode ser um convite à boa mesa. São tantas as delícias que podem ser listadas e ajudam o corpo a se manter aquecido nos climas mais frios, como vinho, fondue, raclette, chocolate quente, carnes vermelhas e queijos.
 
Além disso, é possível criar um clima romântico e intimista com lareira acesa e velas, tornando alguns momentos da viagem memoráveis, mesmo com a temperatura um pouco mais baixa do lado de fora.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »