27/03/2020 às 15h48min - Atualizada em 27/03/2020 às 15h48min

Vacina contra o coronavírus deve demorar pelo menos 18 meses, diz OMS

Em entrevista coletiva, o diretor-geral da OMS declarou também que um grupo de pacientes vai participar de um teste de medicamentos para tratamento da Covid-19

Olhar Digital
Foto: Divulgação
Nesta sexta-feira (27), Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), declarou que o desenvolvimento da vacina contra o novo coronavírus deve levar pelo menos um ano e meio.

"A vacina está há pelo menos 18 meses. Enquanto isso, reconhecemos que há uma necessidade urgente de terapêutica para tratar pacientes e salvar vidas", disse Thedros durante coletiva de imprensa.

Além disso, ele informou que um grupo de pacientes vai participar de um teste chamado "Estudo de Solidariedade", com o objetivo de comparar "a segurança e eficácia de quatro medicamentos diferentes ou combinações de medicamentos contra a Covid-19".

Cientistas do mundo todo estão voltando seus esforços para tentar encontrar uma cura para o novo coronavírus. Até lá, Tedros recomenda que "indivíduos e países se abstenham de usar tratamentos que não demonstram ser eficazes no tratamento da Covid-19".

Confecção de uma vacina

Maria van Kerhove, diretora-técnica da OMS, informou que mais "de uma dúzia de países" estuda a criação de uma vacina eficaz contra o novo coronavírus. Além de testar qual medicamento é o mais eficaz no tratamento dos infectados.

Especialistas também desenvolvem um estudo que tem como objetivo analisar o impacto da doença em diferentes países e faixas de idade. Isso porque, como registrado na China, crianças morreram em decorrência da infecção.

Ainda durante a coletiva, a OMS reforçou a necessidade de isolamento social e distanciamento para evitar a transmissão do vírus entre indivíduos. Além disso, a agência recomenda um período de quarentena com duração de 14 dias não somente para os infectados, mas também para pessoas que tiveram contato com algum caso suspeito.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »