05/11/2019 às 11h26min - Atualizada em 05/11/2019 às 11h26min

Pílula do dia seguinte: quando e por que usar?

É importante lembrar que a pílula do dia seguinte não protege contra AIDS e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs)

Dra. Luciana Barros
Assessoria de Imprensa, Naves Coelho
Foto: Divulgação
Esquecer de tomar o anticoncepcional, a camisinha furou, o diafragma saiu do lugar. Essas são algumas das situações em que as mulheres temem uma gravidez indesejada e recorrem à pílula do dia seguinte, a PDS. Apesar das altas taxas de eficácia dos métodos contraceptivos, nem sempre eles são usados como deveriam. É por isso que a PDS, foi criada: para tentar evitar uma gravidez não planejada. E não são poucas as mulheres que já recorreram ao contraceptivo de emergência: em pesquisa lançada em 2018, só no município de São Paulo, metade das mulheres em idade fértil (dos 15 aos 44 anos) já utilizaram o medicamento.

Segundo a ginecologista, Dra. Luciana Barros, a pílula do dia seguinte é um método contraceptivo de emergência, mas que não deve ser usado diariamente, como o uso do anticoncepcional.

“Quando algum método falha, a PDS entra como segunda opção. É um método contraceptivo emergencial, mas, o ideal é se prevenir anteriormente durante a relação sexual para evitar a gravidez não planejada”, explica.

Ainda de acordo com a ginecologista, o uso da PDS causa muitas dúvidas, principalmente entre as jovens, que muitas vezes utilizam o método de maneira inadequada, gerando preocupação aos profissionais da saúde em relação ao seu uso contínuo. “Vale lembrar que altas doses de hormônios podem causar efeitos colaterais e graves danos ao organismo, como, por exemplo, irregularidades menstruais, náuseas, vômitos, cansaço excessivo, dor abdominal, dentre outros. Estima-se que cerca 20 a 30% das mulheres recorram à pílula de maneira regularmente, um hábito bastante nocivo à saúde”, diz Dra. Luciana Barros.

É importante lembrar que a pílula do dia seguinte não protege contra AIDS e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). A melhor maneira de preveni-las, ainda é usando corretamente o preservativo em toda relação sexual.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »