04/09/2019 às 09h29min - Atualizada em 04/09/2019 às 09h29min

Saiba o que é TCAP e como combatê-la

Conheça os sintomas, as consequências e os possíveis tratamentos para esse transtorno alimentar

Henrique Marsura
Foto: Divulgação
Uma vida saudável, para o corpo e a mente, passa por uma série de hábitos que o indivíduo deve procurar adotar. Praticar exercícios, ter uma dieta saudável, ter tempo para o lazer são exemplos de um estilo de vida que os médicos e especialistas recomendam.
 
Nem sempre, no entanto, as pessoas conseguem desenvolver hábitos saudáveis em suas rotinas. Muita gente, por exemplo, por causa da correria do dia a dia, acaba ingerindo grandes quantidades de comida industrializada com muito açúcar e gordura, como os fast food.
 
Há situações, no entanto, em que as pessoas, além da rotina agitada, enfrentam também problemas psicológicos e emocionais e, como não conseguem diagnosticá-los ou tratá-los de forma correta, acabam desenvolvendo uma relação mais compulsiva com a comida.
 
É o caso, por exemplo, de quem sofre com o Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP).  Nestes casos as pessoas tendem a ingerir diferentes alimentos, em grandes quantidades.
 

O que é a TCAP?

A Compulsão Alimentar Periódica (conhecida pela sigla CAP) é um transtorno psiquiátrico caracterizado pela ingestão de alimentos muito acima da média normal das pessoas.
 
Um fator primordial para determinar esse quadro é que a ingestão acontece em um curto espaço de tempo, em um intervalo de até duas horas. Ou seja, esta ingestão pode ocorrer mesmo quando as pessoas não sentem fome.
 
Uma marca muito presente das pessoas afetadas por isso é da sensação de que elas não têm controle sobre a quantidade, ou mesmo o quê, estão comendo. Quando esses episódios passam a ocorrer com maior frequência, é feito o diagnóstico do TCAP.
 
Outros sintomas comuns desse quadro é quando a pessoa come bem mais rápido que o normal, ou come tanto ao ponto de se sentir desconfortável. É comum que as pessoas optem por comer sozinhas, por ficarem envergonhadas da quantidade que estão ingerindo.
 

Prevalência

No mundo todo, a prevalência do transtorno é de cerca de 3% da população geral, sendo 2/3 dos casos mulheres.
 
No Brasil, estudos estimam que cerca de 15% dos diagnosticados com obesidade mórbida (pessoas com IMC acima de 40) tenham o TCAP. O número entre obesos (IMC acima de 30) é mais alarmante: 49% deles tem o transtorno.
 

Consequências

O não tratamento do transtorno pode levar a pessoa a desenvolver outros problemas de saúde. Diabetes, hipertensão e obesidade são alguns deles. É possível que o indivíduo também desenvolva algum problema ligado à depressão.
 
Isso porque a sensação de descontrole vem acompanhada por sentimentos de angústia subjetiva, vergonha, culpa e mesmo nojo de si mesmo. Isso fortalece o sentimento de baixa autoestima na pessoa.
 

Diagnóstico

A partir do relato dessas sensações e do hábito alimentar compulsivo, o profissional da saúde irá iniciar o diagnóstico do TCAP. Essa avaliação também levará em conta que a pessoa esteja se alimentando dessa forma ao menos uma vez por semana, por um período mínimo de três meses.
 
Esses casos também são marcados pelo fato de não existirem comportamentos compensatórios inadequados, como no caso da bulimia nervosa. Portanto, as pessoas com TCAP não cometem indução de vômito, também não tomam medicamentos para emagrecer.
 

Formas de tratamento

O tratamento do TCAP envolverá um trabalho conjunto de múltiplas áreas, que cuidarão não apenas da parte física, mas também da psicológica. Programas comportamentais para a perda de peso de uma forma convencional são uma possibilidade, que irão estimular a prática de exercícios físicos e causar a perda de peso.
 
O acompanhamento psicológico também é de extrema importância e buscará cuidar de outra questão: o controle do transtorno a longo prazo. Isso envolverá uma reeducação alimentar do paciente, visando a uma alimentação mais saudável e menos repetitiva.
 
Esse modelo também irá auxiliar o indivíduo a lidar com a parte psicológica afetada pelo transtorno. À medida que o tratamento avança, a pessoa passa a controlar melhor os sentimentos de culpa, vergonha e angústia causados pelo TCAP, causando, também sua melhora mental.
 

Medicamentos

Existem medicamentos que também podem ser utilizados no tratamento. Remédios para redução de peso (como o orlistate), ou supressores de apetite (tal como o topiramato) colaboram para que a pessoa tenha uma perda de peso.
 
Outra forma de se tratar por meio de medicamento é com uma espécie de antidepressivo, que contém inibidores seletivos de recaptação da serotonina. Isso  ajuda o paciente a controlar o peso e a compulsão alimentar.
 
Em casos extremos, é possível que a pessoa faça uma cirurgia para tratar a obesidade, como a bariátrica. Esse procedimento auxilia na retomada do peso ideal, mas a pessoa deve ter em mente que isso não resolve a parte psicológica nem o problema do transtorno em si.

 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »