28/05/2019 às 15h09min - Atualizada em 28/05/2019 às 15h09min

Chás e infusões: conheça os principais tipos e indicações

Drª Gabriela França
Assessoria de Imprensa, Naves Coelho
Foto: Divulgação
Que atire a primeira pedra, quem nunca ouviu de sua avó a recomendação de tomar um “chazinho” para curar algum mal-estar ou doença. Além de auxiliar no tratamento de enfermidades – como o resfriado, intestino desregulado, colesterol alto, dor de cabeça, e dentre vários outros problemas de saúde – alguns chás também podem ajudar na aceleração do metabolismo; eliminação de líquidos retidos; combate à insônia e ansiedade; e ainda possuem efeitos antioxidantes, calmantes e depurativos.
 
Para a nutricionista da Clínica Penchel, Gabriela França, os chás podem ser ótimos aliados nos tratamentos e disfunções. “Cada erva possui uma característica particular e o seu próprio modo de agir no organismo. Cabe ao profissional da área da nutrição avaliar qual o tipo mais indicado para cada paciente”, diz. Ela ainda alerta para a importância da avaliação com um profissional capacitado, pois alguns chás podem apresentar contraindicações. “Gestantes, lactantes e pessoas com problemas renais ou hipertensas devem redobrar a atenção para o uso deste tipo de bebida”, enfatiza Gabriela.
 
Apesar de grande parte das infusões de plantas serem conhecidas popularmente como chás, apenas as que são compostas por ervas pertencentes a espécie Camelliasinensis (chás verde, preto, dark, oolong) podem ser consideradas bebidas da classe. Todos os outros líquidos extraídos do cozimento de outras plantas são classificados como infusões, e os que são obtidos a partir de caules e raízes são tidos como decocção.
 
Enquanto os chás e infusões não devem ser acrescentados à água, quando o fogo ainda estiver ligado. Na decocção, as raízes e caules devem ser fervidos junto à água. A nutricionista da Clínica Penchel ressalta que os efeitos causados pela bebida, vão depender de seu uso e preparo. “A ingestão dos chás, infusões ou decocção pode trazer benefícios para seus usuários, assim como podem atrapalhar as funções do organismo. É preciso ter atenção quanto a dose, recomendação, contraindicação e procedência do produto”, alerta.   
 
Para quem busca a perda de peso, os diuréticos são boas opções. Com a função de eliminar os líquidos retidos no organismo, eles são úteis para desinchar e favorecer a produção de urina. “Neste caso, os mais indicados são os de hibisco, cavalinha, centelha asiática, cabelo de milho e camelliasinensis. Essas escolhas irão ajudar para que seus usuários se sintam menos inchados”, conta Gabriela.
 
Já para aqueles que desejam um auxílio antes de iniciar a atividade física, as plantas com ações termogênicas podem dar um “up” no treino. “Os chás verde, preto e branco, de mate, canela e gengibre podem ser recomendados para serem utilizados como pré-treino. No entanto, é necessário ficar muito atento ao horário em que a bebida é consumida”, alerta a nutricionista. Gabriela França explica que a ingestão destes tipos não é aconselhável após às 16h, pois os mesmos aguçam os níveis sensoriais, podendo contribuir para o aumento dos batimentos cardíacos e pressão, e adiamento na indução do sono.
 
Por falar em noite bem dormida, os recomendados para serem utilizados no período da noite, como forma de combate a insônia, são os feitos com camomila, erva-doce e capim cidreira. “Esses três tipos possuem propriedades calmantes, capazes de atuar contra a insônia e contribuir para o alívio do estresse e ansiedade”, aponta Gabriela. A farta variedade da iguaria ainda conta com plantas que são capazes de purificar o organismo, como o boldo, bardana e sabugueiro; que podem agir como laxante, tais como o sene e cascara sagrado; e para prender o intestino, que é o caso do chá de folha de goiaba.
 
Gabriela França - CRN MG: 16100167
- Pós-graduada em Nutrição Ortomolecular e Nutrigenômica
- Pós-graduada em Fitoterapia Integrativa
- Pós-graduada em Gastronomia Funcional

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »