AtaNews Publicidade 728x90
19/07/2022 às 22h27min - Atualizada em 19/07/2022 às 22h27min

Brasil tem 449 casos confirmados de varíola dos macacos, diz Ministério da Saúde

CanalTech
Foto: Divulgação
O Brasil chegou ao número de 449 casos confirmados da varíola dos macacos, ou monkeypox, segundo dados do Ministério da Saúde. São 14 os estados com pacientes infectados, incluindo o Distrito Federal. Em nota, o ministério afirmou estar mantendo articulação direta com as unidades federativas para monitorar os casos e rastrear o contato dos pacientes com quaisquer possíveis infectados.

Atualizado na última quinta-feira (14), um levantamento feito pela CNN identificou pelo menos 58 com casos confirmados da varíola dos macacos, que se tornou uma epidemia ao infectar pessoas fora dos países onde é endêmica, em sua maioria na África Central.

Os casos registrados se distribuem pelos estados brasileiros da seguinte forma:

312 casos em São Paulo;
71 casos no Rio de Janeiro;
33 casos em Minas Gerais;
8 casos no Distrito Federal;
6 casos no Paraná;
4 casos em Goiás;
3 casos no Rio Grande do Sul;
3 casos na Bahia;
2 casos no Rio Grande do Norte;
2 casos no Espírito Santo;
2 casos no Ceará;
1 caso em Pernambuco;
1 caso no Mato Grosso do Sul;
1 caso em Santa Catarina.


449 casos da varíola dos macacos já foram confirmados no Brasil: doença já atinge 58 países (Imagem: MarinaDemidiuk/Envato Elements)

449 casos da varíola dos macacos já foram confirmados no Brasil: doença já atinge 58 países (Imagem: MarinaDemidiuk/Envato Elements)


Sintomas e cuidados da varíola dos macacos
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o período de incubação da varíola dos macacos fica entre 6 a 13 dias, mas pode variar de 5 a 21 dias. Os primeiros sintomas, que começam a aparecer após o quinto dia da infecção, são febre, dor de cabeça intensa, linfadenopatia (inchaço dos gânglios linfáticos), dor nas costas, mialgia (dores musculares), astenia intensa (falta de energia).

Entre 24 e 36 horas do início da febre, os especialistas apontam para o aparecimento de um novo sintoma da infecção: erupções cutâneas, ou seja, na pele. Quando a infecção não é controlada, o vírus pode causar graves desdobramentos para a saúde do indivíduo, que podem incluir infecções secundárias como a broncopneumonia, sepse, encefalite e infecção da córnea com consequente perda de visão.

A varíola dos macacos é transmitida através do contato físico com pessoas que tenham sintomas da infecção. Para ser mais preciso, as erupções e o pus dessas lesões são altamente infecciosos — até roupas de cama, toalhas e objetos contaminados podem transmitir o vírus.

Segundo a OMS, úlceras, lesões ou feridas na boca também podem ser infecciosas, o que significa que o vírus pode se espalhar pela saliva. As pessoas que interagem com alguém que é infeccioso, incluindo profissionais de saúde, membros da família e parceiros sexuais, correm maior risco de infecção.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »