07/01/2022 às 18h50min - Atualizada em 07/01/2022 às 18h50min

Metas pessoais de ano novo: por que e como criá-las?

Entenda como a definição de metas pode ser benéfica para o seu bem-estar e confira dicas de como colocá-las em prática

Unimed
Foto: Imagem Ilustrativa
Definir metas pessoais é algo que pode ser feito a qualquer momento da vida – seja em se desafiar a praticar um esporte novo ou a ler um capítulo a mais de um livro. Mas aproveitar a passagem de um ano para outro, em que 365 novos dias podem ser vistos como uma oportunidade para mudar hábitos, é uma ideia bem interessante para iniciar esse processo.

É muito comum listar vários desejos para um ano que se inicia, afinal, essa é uma fase em que as esperanças se renovam e as expectativas aumentam. Mas, também, é normal chegar no fim desse ano e perceber que boa parte dos objetivos da lista foram abandonados no caminho.

Você se identificou? Mas o que fazer para alcançar de fato essas metas? É sobre isso que vamos conversar neste texto. Confira:

Por que criar metas para o ano novo?


Estabelecer metas já é algo benéfico por si só. E não se trata apenas de uma lista de desejos (esse é só o começo). A definição de metas é o momento de olhar para a própria vida e se perguntar sobre os caminhos que queremos seguir e o porquê.

Essa reflexão permite um maior autoconhecimento e comprometimento com os próprios desejos e ambições. A partir das metas, é possível elencar as prioridades e estabelecer pequenos passos para alcançá-las.

É, também, um momento para olhar com generosidade para as potências e limites individuais e desenvolver sua autoconfiança. Sabendo quem se é e onde se quer chegar, fica mais fácil traçar roteiros possíveis e que façam sentido para você. Assim, a ansiedade e a frustração que acompanham as metas inalcançáveis são evitadas, e é possível comemorar cada passo dado.

Metas de ano novo: o que considerar na hora de criá-las
Muito bem, chegou o tão aguardado ano novo, você quer traçar metas e usá-las como uma forma de autocuidado e conquistas. Mas por onde começar?

Uma dica é dividir suas metas em quatro categorias: pessoais, profissionais, sociais e familiares. Comece com pelo menos uma meta para cada área, assim você pode contemplar diversas partes da sua vida.

Algumas perguntas que podem servir de guia:

- Por que eu quero conquistar essa meta?
- Quais são meus interesses e paixões?
- O que é sucesso sincero para mim?
- O que eu realmente valorizo?
- Essa meta é uma vontade minha ou de outras pessoas?


Essas questões ajudam a entender a razão por trás de cada meta. Sem um bom propósito e interesse real por ela, pode ser mais difícil realizá-la e, no fim, ela pode acabar se tornando um item não solucionado na lista.

É importante entender que as metas fazem parte de um objetivo maior e são apenas uma parcela do plano. Por exemplo, se o seu objetivo é ser mais saudável, você precisa definir metas até alcançar esse objetivo, como ter uma alimentação equilibrada, fazer exercícios físicos e assim por diante.

9 dicas para criar e seguir metas possíveis
Até aqui, você já entendeu a importância de definir metas e o que deve considerar na hora do planejamento. Na jornada de cumprimento de metas, é preciso motivação para mudar, força de vontade para fazer acontecer e disposição para monitorar seu desenvolvimento.

Vamos usar como exemplo a adoção de hábitos saudáveis. Para isso, vale a pena tentar as dicas:

1- Use o Método S.M.A.R.T: o nome dessa técnica vem da abreviação das palavras em inglês Specific, Measurable, Attainable, Relevant e Time-Based, o que em português pode ser traduzido como:

Específica: mesmo que você tenha metas gerais como “ter mais saúde/energia”, tente torná-las claras e objetivas. Que hábitos pretendo adotar para alcançar os resultados almejados, que tipo de exercícios físicos devo praticar, por exemplo.

Mensurável: pense em algo que possa ser medido de tempos em tempos para avaliar as conquistas: o quanto gostaria de reduzir nas taxas de colesterol, quantas páginas diárias pretendo ler por dia, aumento de tempo em que está conseguindo se exercitar etc.

Alcançável: é importante pensar em algo que você realmente consiga cumprir de forma saudável. Se você não fazia nada de exercícios, ou tem problemas no joelho, estabelecer como meta uma maratona de 20 km nos próximos 5 meses pode ser algo bem desgastante! Assim como estudar 12 horas por dia, comprometendo outros aspectos da vida. Tente uma meta estimulante o suficiente para motivar a ação, mas sem que ela se torne motivo de sofrimento ou que comprometa sua saúde mental.

Relevante: trata-se de perguntar o quanto essa meta é importante para você ou se é para atender a expectativa de outras pessoas. Não sabote suas metas!

Temporal: estabelecer prazos ajuda a gerar comprometimento. Por exemplo, até o fim do mês fazer exercícios 3 vezes por semana. Ler um livro por mês. Repetir um exame de sangue em 12 meses para avaliar resultados.

2 - Atente-se ao nível de dificuldade: é bom equilibrar metas mais fáceis e mais difíceis de implementar, assim como metas de curto prazo com as de longo prazo, alternando também estes dois grupos. Além disso, as metas mais simples, quando alcançadas, servem de motivação para seguir rumo às metas de longo prazo.

3- Quebre uma meta em metas menores: se você pretende começar a praticar exercícios físicos, transforme cada etapa em uma pequena meta. Definir a prática e providenciar o que é necessário (roupas, tênis, matrícula); estabelecer os horários e avisar às pessoas envolvidas (no trabalho ou em casa); depois que começar, vale estabelecer metas de avanço, como caminhar uma distância maior, por exemplo.

4 - Facilite a execução: torne o hábito algo fácil e mais prazeroso! Que tal convidar um amigo para ir à academia com você?

5 - Mantenha a meta visível: quem lista várias metas pode acabar se esquecendo do que planejou. Crie meios de se lembrar de suas metas, seja por uma foto no fundo de tela do celular, um planner ou notas adesivas na parede do quarto.

6 - Crie recompensas: você sabia que existe uma parte do nosso cérebro ligada à satisfação por recompensas? É o córtex pré-frontal, a mesma área afetada pelo sentimento de gratidão . Que tal uma recompensa por uma meta cumprida? Vale desde um passeio no parque a um sorvete.

7 - Aproveite o caminho: tente não focar apenas no resultado, e sim nos aprendizados que vêm ao longo do tempo no cumprimento da meta. Se você descobrir que gosta de se exercitar mais pela manhã do que à noite, por exemplo, já é um ponto positivo!

8 - Foque no presente: o planejamento para o futuro é importante, mas aproveitar o hoje é valioso para o seu bem-estar também. Se prender demais à conquista no amanhã pode gerar ansiedade, por isso, lembre-se que você está fazendo o possível hoje.

9 - Fazer uma revisão periódica das metas: o que você já conquistou? O que precisa mudar para alcançar o resultado esperado? Imprevistos acontecem e às vezes é preciso adaptar a meta para uma nova realidade. Pode ser que o seu plano mude no meio do caminho ou você descubra que certa meta não era tão importante assim para você.


Para seguir essas dicas, algumas pessoas preferem um ambiente organizado para destacar etapas e status de cada processo da meta. Que tal uma planilha? Então fique de olho em nossa próxima sugestão.

Como fazer uma planilha de metas pessoais


A etapa de acompanhamento da evolução das metas é fundamental para que se consiga adotar novos hábitos ou mudar os antigos. Por isso, uma boa ideia de plano de ação para revisar as metas é construir uma tabela com as seguintes colunas:

Data de início: o dia em que você vai começar

Objetivo: escreva o que você quer alcançar com a meta.

Indicador: pense “como saberei que alcancei esse objetivo?” e anote na planilha

Para realizar eu preciso: é onde você põe em prática a dica de quebrar a meta em etapas menores

Data de término: o seu prazo para concluir a meta.

Essa tabela pode estar na sua agenda de papel, num mural em casa ou na porta da geladeira. Ou mesmo em aplicativos específicos de planejamento.  A ideia é que você esteja sempre de olho em seus objetivos. Mas claro que, no meio do caminho, a planilha e as próprias metas podem ser revistas conforme o contexto. Você é quem manda nas suas metas, e não o contrário.

Fazer planos para um novo ano não é sobre a idealização de um estilo de vida que seria perfeito, e sim sobre a construção de caminhos possíveis para uma rotina mais saudável e satisfatória para você.

Pronto para criar suas metas?

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »