13/08/2020 às 14h59min - Atualizada em 13/08/2020 às 14h59min

Exercitar o corpo após um longo período sem atividade física potencializa lesões corporais

Lesões musculares, como estiramentos e rupturas, são comuns quando um indivíduo não possui os devidos cuidados na hora de voltar às práticas físicas

Vida Plena e Bem Estar
Foto: Divulgação
As academias do Distrito Federal voltaram a funcionar no começo do mês de julho. O setor contabilizava 114 dias de fechamento por conta da Covid-19 e, com isso, os alunos matriculados tiveram que inovar com os exercícios dentro de casa. Apesar das substituições das atividades acompanhas por professores pelo treinamento solo, a volta para estes estabelecimentos pede atenção na hora do treino, mesmo com o hábito de se exercitar, de forma individual, antes da abertura das unidades.

Márcio Silveira, médico ortopedista da clínica Salus Ortopedia, explica que parar as atividades por, em média, duas semanas, não acarreta na perda da performance, entretanto, períodos superiores a este afastamento exigem um retorno cuidadoso, com aplicação de cargas menores e exercícios menos intensos.

Isso porque, de acordo com o especialista em Ortopedia, há uma redução da massa magra, o que pode gerar a perda da força e, também, da resistência muscular. Além disso, a redução da flexibilidade é outra consequência desdobrada a partir da pausa nos exercícios mais intensos, realizados nas academias.

“Lesões musculares, como estiramentos e rupturas, são comuns quando um indivíduo não possui os devidos cuidados na hora de voltar às práticas físicas. Tendinites e bursites também tendem a surgir a partir deste problema devido à elevação das cargas na hora da execução de um movimento. Por isso, aconselhamos um retorno lento, respeitando as limitações do corpo”, informa o Dr. Márcio Silveira.

Embora as dores corporais façam parte da adaptação de qualquer tipo de atividade física, é preciso ter em mente que o excesso de desconforto costuma ser um sinal de alerta do organismo, informando que algo não está correto. “Caso a dor venha acompanhada de uma sensação de estalido ou redução da mobilidade articular, busque assistência de um médico”, aconselha o profissional.

Dr. Márcio Silveira também pontua que a presença de inchaço e dificuldades ao caminhar são preocupantes e também precisam de tratamentos específicos. Nestes casos, aconselha-se a ida a um ortopedista para a realização da avaliação clínica para o devido diagnóstico e orientação de atividades que, posteriormente, serão realizadas com um fisioterapeuta para promover a reabilitação física.

Dica para evitar as lesões

O alongamento e aquecimento são essenciais antes da realização de qualquer atividade física. Quanto mais prolongado, melhor o corpo se adaptará ao treino. “Conseguimos flexibilizar os músculos antes dos exercícios. Isto se deve ao fato de conseguimos aquecer o corpo, ao mesmo tempo que eliminamos a tensão. Temos diversas reações químicas que ocorrem durante este processo, que capacitam a elasticidade e a viscosidade dos tecidos”, informa o médico.

Além disso, há uma preparação do coração, neste momento pré-atividade, para que o órgão esteja apto a sustentar atividades de maior intensidade.

“Os tendões e os ligamentos também se beneficiam, pois os músculos, tendo maior eficiência na contração e relaxamento, permitem eficiência muscular, promovendo maior amplitude no movimento das articulações e menor sobrecarga nestas estruturas”, complementa.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »