22/02/2019 às 14h47min - Atualizada em 22/02/2019 às 14h47min

Rafaela Silva e Nathália Brígida buscam primeiras medalhas para o Brasil no Grand Slam de Dusseldorf

Campeã olímpica está na final e Nathália lutará pelo bronze nesta sexta, a partir das 13h (Brasília)

CBJ
Foto: Rafal Burza
Rafaela Silva e Nathália Brígida serão as representantes do Brasil nas disputas por medalhas no primeiro dia de Grand Slam de Dusseldorf. A campeã olímpica venceu todas as lutas nas preliminares e enfrentará a atual campeã mundial, Tsukasa Yoshida, do Japão, na grande final do peso leve. Brígida vai lutar pelo bronze depois de cair na semifinal para a também japonesa Funa Tonaki. As disputas por medalhas serão nesta sexta, a partir das 13h (Brasília), com transmissão ao vivo do portal www.live.ijf.org. 


Rafaela chegou a Dusseldorf como uma das cabeças-de-chave da competição e confirmou seu favoritismo nas preliminares. Abriu caminho com vitória nas punições sobre Ichinkhorloo Munkhtsedev, do Azerbaijão. Em seguida, projetou a holandesa Sanne Verhagen, pontuando um waza-ari a poucos segundos do fim da luta para avançar às quartas-de-final. Nessa fase, a brasileira sofreu um waza-ari no início da luta contra Sappho Coban, da Alemanha, mas reagiu com outras duas projeções e superou a alemã por ippon para chegar à semifinal. 

A penúltima luta foi uma reedição da final olímpica do Rio contra a mongol Sumiya Dorjsuren e teve o mesmo desfecho de 2016. Luta parelha, com Rafaela vencendo no finalzinho graças a um waza-ari que precisou ser confirmado pelo vídeo. 

Já Nathália, estreou com vitória por ippon sobre Aisha Gurbanli, do Azerbaijão, e bateu a húngara medalhista de bronze em Londres, Eva Csernoviczki, nas oitavas-de-final, com um waza-ari no golden score. Na sequência, Brígida derrotou Shira Rishony, de Israel, em luta equilibrada decidida apenas nas punições (3-2) e foi para a semifinal, onde acabou sendo imobilizada pela japonesa Funa Tonaki, atual vice-campeã mundial. 

Na luta pelo bronze, Nathália conseguiu encaixar uma chave braço e fez Katharina Menz desistir do combate. Esse é o segundo pódio da brasileira na temporada. Em janeiro, ela foi bronze também no Grand Prix de Tel Aviv, em Israel. Os 500 pontos de Dusseldorf devem fazer com que a brasileira dê um salto no ranking mundial. Depois de duas cirurgias no ombro e um longo período afastada das competições, Brígida ocupa, atualmente, a posição número 51 na listagem da FIJ. 

Outros brasileiros também lutaram nesta madrugada. As meio-leves Larissa Pimenta e Eleudis Valentim venceram suas duas primeiras lutas, mas caíram nas oitavas-de-final sem chance de voltar na repescagem. 

Larissa vencia a russa Yulia Kazarina por um waza-ari, mas acabou sendo surpreendida pela adversária, que conseguiu o ippon e eliminou a brasileira. 

Eleudis caiu para a campeã olímpica Majlinda Kelmendi, do Kosovo, nas punições e despediu-se mais cedo do Grand Slam de Dusseldorf. Kelmendi chegou à final da categoria com a mongol Sosorbaram Lkhagvasuren.  

Phelipe Pelim foi outro brasileiro que parou nas oitavas. Ele estreou com vitória sobre Matjaz Trbovc, da Eslovênia, mas perdeu para o favorito Ryuju Nagayama, do Japão, também finalista em Dusseldorf. 

Eric Takabatake (60kg), Charles Chibana (66kg), Daniel Cargnin (66kg), Gabriela Chibana (48kg) e Tamires Crude (57kg) pararam em suas primeiras lutas no tatame alemão.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »