08/02/2019 às 14h37min - Atualizada em 08/02/2019 às 14h37min

Prevenindo acidentes com animais peçonhentos

Com as chuvas e o calor intenso, esses acidentes são mais comuns no verão, mas algumas medidas de prevenção podem reduzir os riscos

Unimed
Foto: Imagem Ilustrativa
O verão é, sem dúvidas, uma das estações mais esperadas: sol, calor intenso, mais tempo para curtir atividades ao ar livre, como parques, praia, piscina. Mas a estação também traz muito calor e chuva, fatores que aumentam a possibilidade de ocorrência de acidentes com animais peçonhentos, como escorpiões, aranhas e cobras. Como gostam de ambientes quentes e úmidos, eles podem ser encontrados em mata fechada e trilhas. Mas nesta época do ano, eles também podem buscar abrigo inclusive dentro da nossa casa.



Segundo o Ministério da Saúde, animais peçonhentos são aqueles que produzem veneno (peçonha) capaz de ser injetado por meio de dentes modificados, aguilhão, ferrão, cerdas urticantes, nemacistos (pequenos órgãos semelhantes a arpões carregados de toxinas), ferrões, entre outros, e envenenar a vítima.

Os animais peçonhentos que mais causam acidentes no Brasil são serpentes, escorpiões, aranhas, mariposas e suas larvas, abelhas, formigas e vespas, besouros, lacraias, peixes, águas-vivas e caravelas. Em áreas urbanas se concentra a maioria dos acidentes com escorpiões, seguidos de aranhas e abelhas. Já em áreas rurais, a maior incidência de casos também envolve escorpiões, seguidos de serpentes e aranhas.

Dependendo da espécie do animal e da gravidade da picada, os acidentes podem levar até mesmo à morte, caso a pessoa não seja socorrida e receba o tratamento adequado a tempo. Por isso, em caso de qualquer picada de animal peçonhento, a recomendação é procurar atendimento médico imediatamente. Todos os casos devem ser notificados, segundo o Ministério da Saúde, pois essas informações podem auxiliar nas estratégias e ações para prevenir esse tipo de acidente.

Algumas recomendações para prevenir acidentes com animais peçonhentos

Em casa




- A recomendação é manter a casa sempre limpa, removendo lixo, entulho e material de construção. Deve-se manter rebocados muros e paredes.

- Outra recomendação é manter a grama aparada e os arredores da casa limpos, para evitar o surgimento de insetos que podem servir de alimento para os animais peçonhentos, como baratas.

- Não deixe que plantas trepadeiras se encostem na casa e que folhagens entrem pelo telhado ou pelo forro.

- Limpe regularmente móveis, cortinas, quadros, cantos de parede e terrenos baldios (este último sempre com uso de equipamentos de proteção individual).

- Vede frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés.

- Utilize telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos.

- É preciso ter cuidado ao entrar em locais que estão fechados há muito tempo, como casas de veraneio, mantendo algumas precauções:

- Bata os colchões e a roupa de cama antes de usá-los.

- Balance cuidadosamente roupas, sapatos e toalhas que ficaram no imóvel durante o período em que permaneceu fechado.

- Afaste as camas das paredes e evite pendurar roupas fora dos armários.

- Limpe o interior e o exterior da casa usando luvas, botas e calças compridas.

- Nunca coloque as mãos em buracos ou frestas.

- Caso encontre algum animal peçonhento dentro de casa, afaste-se dele sem assustá-lo e entre em contato com o centro de controle de zoonoses da sua cidade.


Fora de casa



- Se estiver em algum lugar ao ar livre, verifique cuidadosamente a área ao redor de onde você pretende se instalar.

- Não monte acampamento próximo a áreas onde normalmente há roedores (plantações, pastos ou matos) que, por conseguinte, podem atrair serpentes.

- Evite piqueniques às margens de rios, lagos ou lagoas.

- Em regiões de mato alto, use sempre calça comprida e botas.

- Próximo a matas e na beira de estradas, evite deixar as portas do carro abertas, principalmente ao anoitecer.

- Nunca pegue animais peçonhentos com as mãos.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »