30/07/2021 às 17h45min - Atualizada em 30/07/2021 às 17h45min

ROMPA COM AMIZADES TÓXICAS

A julgar pelos últimos acontecimentos no mundo, vimos que a saúde mental é muito importante, certo? Esta pandemia trouxe dor a milhares de pessoas, e o choro até hoje é saudade. Dor esta que acumula e nos faz percebermos quão importante é valorizar a saúde mental daqui para a frente com ou sem pandemia.

Levantamos de manhã e aguardamos o telefonema, as novidades e o bom dia dos nossos colegas, dos nossos amigos mais próximos, mas nem sempre recebemos. Não recebemos porque esperarmos demais das pessoas ao nosso redor, uma vez que depositamos confiança de que elas nos trarão este conforto emocional diariamente.

Para nossa saúde mental, não espere muito da outra parte, pois a outra parte não tem obrigação de simpatizar, mas também, nós não temos motivos para andar com pessoas que não são simpáticas, simples assim. Já basta a dor de vivermos a pandemia, de perdermos entes queridos; vivermos ao lado de quem causa dor a nós, é um vírus igual ou pior.

Nossa saúde mental está acima de tudo e devemos carregá-la conosco todos os dias de nossas vidas. Nesta vida cotidiana estressante, manter um equilíbrio mínimo se torna cada vez mais difícil. Neste período pandêmico, ninguém, absolutamente ninguém parece viver tranquilamente, sem aborrecimentos, perturbações ou inquietudes e é por isso que precisamos nos resguardarmos ao máximo para não desestabilizar o nosso emocional.

Temos tão pouco tempo que temos que reservar os momentos livres em lugares agradáveis, com gente gentil e bem iluminada: assim podemos ouvir pacificamente a voz do coração. Quanto menor o barulho externo, melhor podemos ouvir nossas almas.

Quanto mais aprendermos a dizer não, a parar de nos importarmos com o que os outros vão pensar, a cancelar gente chata de nossas vidas, a parar de nos culparmos por erros que não são nossos, menos medicamentos tomaremos, e sem dúvida, sorriremos muito mais.

É inevitável convivermos com pessoas desgastantes em algum lugar: seja no ambiente de trabalho, na Igreja, com o vizinho ao lado, teremos muitas oportunidades de escolher quem caminhará conosco daqui para frente.

Nós nos acostumamos com pessoas amargas, ou porque são da família, ou porque as conhecemos da época da escola, ou porque pensamos que aquele é o jeito delas. Não podemos adoecer junto a elas, é preciso romper os vínculos tóxicos rapidamente de nossas vidas, caso contrário, adoeceremos física e emocionalmente.

Sabe aquela pedrinha no sapato? Pois então, é chato, incomoda, certo? Se demorarmos para tirá-la, mais a gente se irrita. Assim também é em nossas vidas: temos que tomar uma atitude em relação a tudo e a todos que são pedrinhas chatas.

Devemos cuidar de nosso coração, de nossa saúde, e de nossos pensamentos. Isso não é egoísmo, mas sobrevivência emocional durante períodos pandêmicos e não-pandêmicos.

Nem todo vínculo é bom e, se for tóxico, não deve durar nem as amizades. Não é porque já nos fez bem, que fará bem para sempre. O tempo passa muito rápido e precisamos aprender a valorizarmos nossa saúde mental, excluindo aquela cobrança desnecessária de que você deveria ter convidado para aquele jantar.

As coisas mudaram, nós mudamos. Nada daquilo que machuca deve permanecer, sejam roupas, objetos ou pessoas. Para nossa saúde mental, precisamos quebrar laços tóxicos. Rompa, não tenha medo!    
 
Link
Professor de filosofia

Professor de filosofia

Thiago Agostinis Cândido " O verdadeiro conhecimento vem de dentro". Sócrates

Tags »
Relacionadas »
Comentários »