14/09/2018 às 15h53min - Atualizada em 14/09/2018 às 15h53min

Jean Yves Leloup visita escola onde crianças meditam na Bahia

Com mais de 50 livros publicados filósofo defende benefícios da prática meditativa

Educa + Brasil
Bárbara Maria

Jean Yves Leloup visita escola onde crianças meditam na Bahia . (Foto: Divulgação)

Um encontro silencioso mas de uma riqueza singular entre os alunos de uma escola particular em Salvador e o escritor, PhD em Psicologia Transpessoal, filósofo francês Jean-Yves Leloup tornou o início das aulas especial.Pioneira na prática meditativa no ambiente escolar, a Ananda Escola e Centro de Estudos, localizada em Itapuã, promove 30 minutos de exercícios diários com crianças e adolescentes voltados para o centramento. Outra visita ilustre que a escola recebeu na mesma data foi do educador Paulo Zabeu, da Fundação Eufraten, defensor da capacidade de transformação do ser humano através do Autoconhecimento.

Antes do contato com caderno, lápis e borracha, o convite é para um mergulho interior. “Para mim é uma bonita descoberta observar as crianças meditarem antes de das atividades, algo muito bonito mesmo”, elogia Leloup. Um dos principais conferencistas do mundo na temática da Psicologia e Espiritualidade, Jean-Yves Leloup nasceu na cidade de Angé, na França, em 24 de janeiro de 1950. Aos 20 anos teve morte clínica diagnosticada. Foi nesta ocasião, que descobriu o valor da meditação. “Descobri que havia outra coisa além do corpo material. Ai me perguntei, o que era essa realidade que não morria. E como experimentar esta realidade em um corpo mortal. A prática da meditação é uma maneira de encontrar este espaço”, conta.

Presidente da Universidade Holística Internacional de Paris, orientador do Colégio Internacional dos Terapeutas, Leloup tem mais de 50 livros publicados. Sua obra incentiva a ampla meditação sobre as realidades espirituais no cotidiano da vida moderna. Estimula também uma formação transdisciplinar, uma integração entre as várias dimensões do conhecimento. “O que a Ananda realiza deveria ser exemplo para todas as escolas. Um local para despertar a consciência. A consciência de si, do outro, a consciência do ambiente e a consciência da vida divina”, prega, lembrando que, muitas vezes as instituições de ensino desenvolvem apenas o aspecto da razão ou da memória, esquecendo o aspecto afetivo, intuitivo e sensorial. “Desta maneira não criamos crianças equilibradas e nem sociedade equilibrada. Na antropologia desta escola, não se cria opostos entre a filosofia, arte, religião e ciência”.

Para os interessados no autor e na temática, Jean-Yves Leloup irá ministrar palestra magna de abertura do 13º Simpósio Internacional sobre Consciência e Autoconhecimento: Nada Ocorre. Promovido pela Fundação Ocidemnte – Organização Científica de Estudos Materiais, Naturais e Espirituais e pelo Instituto Superior de Educação Ocidemnte (ISEO), o evento será realizado hoje e amanhã, no Instituto Anísio Teixeira – IAT / Paralela, Salvador-Bahia. Além de Leloup, os professores Francisco Di Biase (RJ), Francisco Fialho (SC), Paulo Zabeu (SP), além de Kiko Kislanky (BA) e Maribel Barreto (BA) integram a programação que pode ser acompanhada em tempo real através do Youtube ou Facebook.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...