10/09/2018 às 16h08min - Atualizada em 10/09/2018 às 16h08min

Ladrões furtam animais na Fumares. Assistência pede ajuda para denúncias e recuperação

Os animais ficam na sede da fundação e são cuidados por moradores de rua que estão em processo de recuperação social

Assessoria de Imprensa
Fumares (Fundação Mariliense de Recuperação Social). (Foto: Divulgação)
Ocorreu na madrugada do último sábado, dia 8, o furto de alguns animais na Fumares (Fundação Mariliense de Recuperação Social). De acordo com a Secretaria Municipal da Assistência e Desenvolvimento Social, que cuida da entidade, foram furtados um bezerro da cor marrom e três filhotes de porcos.

Os animais ficam na sede da Fumares e são cuidados por moradores de rua que estão em processo de recuperação social.

“Fizemos um boletim de ocorrências e a Polícia Militar foi até o local e já está nos ajudando, mas precisamos da colaboração da população rural para que possamos tentar recuperar estes animais. Eles são de grande importância para a entidade. Foi uma conquista da nossa gestão e está fazendo a diferença para os moradores”, disse Wania Lombardi, secretária da Assistência e Desenvolvimento Social.

Os animais foram doados pela Penitenciaria de Marília e serviam como laborterapia para os internos, ou seja, como um método psicoterápico em que se usa o trabalho – principalmente manual – para afastar os malefícios da desocupação e da ociosidade. “Os internos cuidam dos animais como se fossem deles, mas como o local é muito grande em extensão territorial, teve esse ocorrido”, disse Wania.

REMODELAÇÃO
 
A Fumares (Fundação Mariliense de Recuperação Social), fundada em 18 de janeiro de 1974, recentemente empossou uma nova diretoria dando continuidade ao seu projeto de remodelação total, com objetivo de oferecer uma melhor qualidade de vida aos internos do local. Atualmente várias melhorias foram feitas no local.

A nova diretoria, que tomou em junho deste ano é composta pelo presidente Vanderlei Dolce, atual secretário municipal do Meio Ambiente e de Limpeza Pública; pela vice-presidente Zileide dos Santos Bernardo e pelo diretor executivo João Augusto Albieri, que são servidores públicos municipais. Compõem a diretoria também três membros do Conselho Fiscal e outros cinco conselheiros.

Atualmente a Fumares conta com 32 internos e tem capacidade para 50. São dez funcionários – assistente social, auxiliar de enfermagem, cozinheiro, auxiliar de serviços gerais e motorista -, além de cinco cuidadores sociais, que foram contratados através de concurso público no ano passado.
 
Integrante do Projeto Reviver, que envolve também o Centro Pop e a Casa de Passagem, a Fumares é um abrigo para as pessoas em situação de rua e que perderam o vínculo com a família.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »