06/09/2018 às 09h56min - Atualizada em 06/09/2018 às 09h56min

Trabalho desenvolvido na FMVZ é premiado na Alemanha

Estudo foi realizado junto ao Programa de Pós-Graduação em Animais Selvagens.

Assessoria de Imprensa, Unesp
Professor Bruno Cesar Schimming e Joshua Benjamín Andrés Polanco Stuart. ( Foto: Sérgio Santa Rosa)
Um trabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, câmpus de Botucatu, foi o primeiro colocado na área de Anatomia do Sistema Respiratório no 32º Congress of European Association of Veterinary Anatomists (EAVA), realizado nos dias 25 a 28 de julho de 2018, na Stiftung Tierärztliche Hochschule Hannover -TiHo (Universidade de Medicina Veterinária de Hannover), na Alemanha.

O congresso, organizado pela European Association of Veterinary Anatomists (EAVA), é um dos mais importantes eventos mundiais da anatomia e conta com participação não só de membros europeus, mas também asiáticos e americanos.

Intitulado “Lower respiratory tract in the red-foot tortoise (Chelonoidis carbonaria) by imaging studies and gross anatomy”, é parte da dissertação de mestrado do médico veterinário venezuelano Joshua Benjamín Andrés Polanco Stuart junto ao Programa de Pós-Graduação em Animais Selvagens, sob orientação do professor Bruno Cesar Schimming. Os demais autores são a professora Maria Jaqueline Mamprim e as pós-graduandas Jeana Pereira da Silva e Letícia Rocha Inamassu. A pesquisa teve a colaboração do servidor técnico administrativo Heraldo André Catalan Rosa. O trabalho foi apresentado no evento pelo professor Schimming.

O trabalho

A criação ilegal, sem licença específica, de animais selvagens, associada à falta de boas práticas de higiene, coloca em risco a saúde animal e humana, preocupando setores de saúde pública, pois os animais silvestres são reservatórios de enfermidades com potencial zoonótico. Estudos em Testudines (tartarugas marinhas, cágados e jabutis) sobre mortalidade indicam que o sistema respiratório é o que apresenta maior frequência de doenças nessas espécies. “O diagnóstico das diversas doenças respiratórias em testudines é um desafio para o clínico, devido à presença do casco, que impede um exame físico detalhado como ausculta e palpação”, explica Joshua, atualmente cursando o doutorado em Biotecnologia Animal na FMVZ, sob orientação da professora Fernanda da Cruz Landim.

Tendo em vista a busca de conhecimentos para o diagnóstico clínico, a conservação e o equilíbrio ecológico do Jabuti-piranga (Chelonoidis carbonária), pesquisas sobre esta espécie são de grande importância. “Na literatura, há ainda poucos estudos disponíveis envolvendo o jabuti-piranga e outros quelônios brasileiros, especialmente no que diz respeito às descrições anatômicas e da imagenologia em geral. Por isso é importante definir e priorizar projetos que contribuam para geração de conhecimento técnico-científico em relação a estes répteis”, explica Joshua. “O estudo teve o objetivo de fornecer dados e descrições tomográficas, radiológicas e anatômicas do sistema respiratório do jabuti-piranga em cativeiro. Este conhecimento proverá subsídios ao cotidiano de clínicos, cirurgiões e pesquisadores, permitindo maior êxito no diagnóstico das alterações e das anormalidades que possam acometer o sistema respiratório da espécie”.

A pesquisa foi desenvolvida por uma equipe multidisciplinar de profissionais em animais selvagens e de diagnóstico por imagem, com o apoio do Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Selvagens (Cempas) e do Setor de Diagnóstico por Imagem da FMVZ. “Sentimo-nos orgulhosos pelo reconhecimento internacional ao grande esforço que foi o desenvolvimento desse trabalho”, afirma Joshua. “Esperamos que a divulgação dos conhecimentos gerados contribua para a conservação dos testudines”.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »