13/08/2018 às 16h15min - Atualizada em 13/08/2018 às 16h15min

Veja como ter um quarto montessoriano para a criançada

Deixe seu filho livre para explorar o ambiente e os objetos que estão ao seu alcance

Revista Zapimóveis
Neste tipo de decoração, o quarto dos pequenos deve ser estruturado de acordo com a ótica da criança e não do adulto (Fotos: Reprodução/Pinterest)
Você já ouviu falar no método de ensino montessoriano? Ele foi desenvolvido, implantado e divulgado mundialmente pela educadora e médica Maria Montessori, que nasceu na Itália em 1870 e morreu em 1952 na Holanda e vem ganhando cada vez mais adaptos.

É possível ter um quarto montessoriano dentro de casa, o ZAP em Casa fala sobre o método e da dicas de como decorar o ambiente.

Filosofia do método
O método Montessori foi um dos primeiros modelos pedagógicos que tiveram como principais objetivos as atividades motoras e sensoriais. Ela entendia que toda criança é um ser particular, qualitativamente distinto do adulto, dotado de maravilhosas energias latentes e com grande capacidade de auto-desenvolvimento.

Segundo Fabiana Aparecida da Silva Lacerda, diretora pedagógica Escola Irmã Catarina de São Caetano (SP), que utiliza o método, fazem parte da filosofia a aceitação das diferenças individuais, sejam elas físicas, ambientais, intelectuais e emocionais; deixar o educando livre para que ele possa, através de experiências e vivências diárias, se auto-educar e auto-disciplinar-se; priorizar a necessidade de cada um de ser ele mesmo, além do respeito ao ritmo normal da criança e às suas potencialidades.

Como compor o quarto
Fabiana explica que o quarto dos pequenos deve ser estruturado de acordo com a ótica da criança e não do adulto, de forma que ela circule livremente no seu ambiente, explorando as coisas que estão ao seu alcance.

“O mais importante é que o quarto precisa estar em constante transformação, seguindo os interesses e as mudanças da criança, por isso, a tendência é não colocar nada fixo, com exceção do guarda-roupa”, explica a educadora.

A decoração deve ser, de preferência, minimalista, para que a criança explore cada objeto e desenvolva a concentração. “Todos os móveis devem proporcionar o desenvolvimento do esquema corporal, principalmente na descoberta dos órgãos dos sentidos localizados no rosto, permitindo exercícios fisionômicos interessantes e muita criatividade”, orienta.


A decoração deve ser, de preferência, minimalista, para que a criança explore cada objeto e desenvolva a concentração (Foto: Reprodução/Pinterest)

O berço é substituído por um colchão no chão ou uma cama baixinha para que a criança tenha mais independência para deitar ou levantar. Deve existir um espaço chamado cantinho da beleza, com a colocação de uma penteadeira com banqueta e espelho, pente, perfume, grampos e presilhas para estimular cuidados pessoais.

Dependendo da idade da criança esses objetos devem ser lúdicos ou manuseados sob a supervisão dos pais. “É importante também a criança ter uma boneca com banheira para estimular a higiene corporal e o reconhecimento do corpo”, ensina.

Os objetos favoritos devem estar ao alcance das mãos e fotos, quadros e livros à altura do seu olhar. “É bom ter uma mesa de artes para pintura, desenho e massa de modelar. Além disso, pode ter murais com fotos da família, imagens do dia a dia, animais ou fotos de ocasiões especiais”, sugere Fabiana.

Organizadores de plástico são baratos, fáceis de limpar e podem ser empilhados ou colocados na altura das crianças. Dessa forma, a criança participa da arrumação dos brinquedos e escolhe onde posicioná-los. Eles ajudam a valorizar mais os brinquedos, ao contrário das caixas onde normalmente são “jogados”, porque cada um deve ter seu espaço.

quarto 2

quarto 2


O berço é substituído por um colchão no chão ou uma cama baixinha para que a criança tenha mais independência para deitar ou levantar (Foto: Reprodução/Pinterest)

Além disso, valorizam o processo de escolha da criança em relação ao que ela vai brincar. Os brinquedos não ficam “perdidos no espaço” ou escondidos, ela sabe onde está cada um e consegue escolher, decidir e construir melhor suas brincadeiras. Também pode ser montado um cantinho da música e outro para a leitura. “Essa atitude estimula a concentração e senso de organização”, diz a diretora pedagógica.

O quarto também pode ter um mural de feltro, comprado em livraria, para a criança contar historinhas ou pregar qualquer coisa que tenha velcro atrás. As figuras podem mudar ou podem ser números, letras, formas e personagens. Ao contrário do quadro com peças de ímã, que podem ser engolidas, esse não tem perigo porque é só tecido, velcro e figuras de material emborrachado.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »