09/08/2018 às 10h32min - Atualizada em 09/08/2018 às 10h32min

Onça-parda ganha liberdade após nove meses de recuperação

Animal atropelado passou por cirurgia de grande porte por meio de parceria entre Zoológico Municipal, Polícia Ambiental e Hospital Veterinário da Unirp

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
Depois de quase nove meses em recuperação no Zoológico Municipal, após sofrer um atropelamento e passar por uma cirurgia de grande porte, uma onça-parda macho (Puma concolor) ganhou a liberdade na manhã desta terça-feira, dia 7.

Com 55 quilos, cerca de dez a mais do que quando chegou ao Zoológico, órgão da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo, em novembro do ano passado, a onça voltou para a natureza em ótimas condições de saúde e grandes chances de readaptação à vida selvagem. A onça passou por uma cirurgia há cerca de sete meses.

A onça-parda foi anestesiada, levada pela Polícia Ambiental de Rio Preto com acompanhamento de veterinários do Zoológico e solta na reserva ecológica de Paulo de Faria, uma área de preservação com mata fechada com 436,76 hectares. Logo que a jaula de transporte foi aberta, o animal rapidamente saiu e fugiu para a mata.

De acordo com o veterinário do Zoológico, Bernard Von Shimonsky, a mobilidade que a onça apresentou logo que saiu da caixa foi excelente, o que demonstra que o animal teve uma ótima recuperação. “Ela está em bom estado físico, tem uma reserva boa de energia, uma boa reserva nutricional para essa fase de adaptação e acreditamos que ela não terá problemas. Ela tem plenas condições de se readaptar e caçar, voltando ao seu habitat natural”, explicou Bernard .

O cabo da Polícia Ambiental Júlio César Alves Viana ressaltou a missão conjunta e a sinergia entre os órgãos envolvidos como fundamental para o sucesso dessa operação e reunião de esforços para salvar um animal com risco de extinção na região. “Se não fosse essa parceria com o Hospital Veterinário da Unirp e a Prefeitura, por meio do Zoológico, esse animal não teria chances de sobreviver”, destacou Viana.

Entenda o caso

Por meio de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo e o Hospital Veterinário da Unirp, a onça-parda (também conhecida por Suçuarana ou Puma, nome científico, Puma concolor), foi resgatada pela Polícia Militar Ambiental no dia 6 de novembro de 2017, na região de Barretos, após ter sido vítima de atropelamento. A onça, que é um macho adulto com cerca de 15 anos de idade, inicialmente, passou por tratamento e estabilização no Hospital Veterinário da Unirp e depois foi transferida, no dia 10 de novembro de 2017, para o Zoológico Municipal, onde ficou em quarentena recebendo tratamento para reabilitação.

Naquele momento, apesar de um trauma na região do tórax e fraturas na escápula e cauda, não havia indicação de cirurgia. A expectativa era de que as fraturas se consolidassem em 40 dias, porém, a fratura óssea na escápula não se consolidou e após nova avaliação e exames, recebeu indicação de cirurgia, com colocação de uma placa de fixação e pinos de aço cirúrgico. A cirurgia foi realizada com sucesso no dia 27 de dezembro de 2017. Essa operação teve como foco a total reabilitação do animal e sua reinserção na natureza.

A cirurgia serviu para fixar o ombro do animal, permitindo à onça caminhar e caçar normalmente. Por ser um animal selvagem, agitado e já não tão jovem, a fratura que antes estava alinhada e não tinha indicação de cirurgia acabou desalinhando. Na avaliação de radiografia, além da fratura, foram localizados três projéteis de arma de fogo de calibre não definido, na musculatura do animal, mas sem riscos para sua saúde.

A onça passou por exames e avaliação no dia 4 de abril último, após pouco mais de três meses da cirurgia. As fraturas que foram o foco da cirurgia, com colocação de placas e pinos de aço cirúrgico, estavam em fase final de consolidação.

O animal – que chegou a pesar 43 quilos, logo após a cirurgia – ganhou peso. Em abril, foi constatado que ela tinha os movimentos e sensibilidade do membro operado preservados e já mostrava chances de se recuperar totalmente para ser reinserido na natureza.

Todos os cuidados com o animal, desde que chegou ao Zoológico, foram realizados por meio de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo e o Hospital Veterinário da Unirp. O prognóstico em abril era de que a recuperação total se daria em cerca de três meses, o que se confirmou, promovendo a alta do animal.

De acordo com o coordenador do Bosque, veterinário Ciro Cruvinel, a onça recebeu uma alimentação balanceada, condizente com a espécie, o que favoreceu para sua recuperação e ganho de peso. Com a consolidação da fratura, o animal também foi estimulado a manter seu instinto selvagem, o que facilitará sua reinserção na natureza.

Espécie e hábitos

A onça-parda (Puma concolor) é um mamífero da família Felidae, nativo do continente americano. É conhecida popularmente como suçuarana, leão-baio, onça-vermelha e puma. É um animal solitário e apresenta hábito de vida noturno. Porém, embora mais raramente, também costuma caçar durante o dia. O habitat desta espécie animal no Brasil é formado, principalmente, por caatinga, pantanal e cerrado – que é a vegetação típica da região de Rio Preto.

O animal adulto pesa entre 45 e 70 quilos e mede entre 1,70 e 2,10 metros de comprimento. A onça-parda é carnívora e se alimenta, principalmente, de pequenos mamíferos, aves e roedores de pequeno porte. Em seu habitat natural e preservado, os animais desta espécie vivem, em média, 20 anos. (Josy de Sá).
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »