21/05/2022 às 15h43min - Atualizada em 21/05/2022 às 15h43min

Uber permitirá pedir corrida por mensagem no WhatsApp

CanalTech
Foto: Imagem Ilustrativa
A Uber quer trazer ao Brasil a capacidade de pedir por corridas pelo WhatsApp, anunciou o CEO da empresa Dara Khosrowshahi durante a conferência Conversations desta quinta (19). Inaugurada em Delhi, na Índia, a modalidade começará a ser expandida internacionalmente e terá como prioridade mercados emergentes. O Brasil é um dos próximos países, segundo o executivo.

Na Índia, as corridas por WhatsApp são utilizadas principalmente por novos clientes do aplicativo. O atendimento acontece via chatbot, totalmente automatizado. O processo requer que o usuário insira informações necessárias para a corrida — nome e localização, por exemplo.

Os pedidos por corrida no WhatsApp focarão em atender novos consumidores (Imagem: Reprodução/Uber)

Os pedidos por corrida no WhatsApp focarão em atender novos consumidores (Imagem: Reprodução/Uber)


Por lá, o atendimento da Uber via WhatsApp existe desde dezembro de 2021. A intenção do serviço é alcançar novos usuários — especialmente aqueles que ainda não baixaram o app. Somado ao novo link personalizado em preparação na assinatura WhatsApp Premium, pedir um carro seria tão fácil quanto clicar num link e iniciar uma conversa.

É provável que o serviço funcione de forma semelhante no Brasil, talvez com algumas adaptações para se encaixar melhor com os hábitos de consumo locais. Durante o papo, o CEO não entrou em detalhes sobre a disponibilidades dos pedidos de corridas por WhatsApp, mas geralmente recursos inéditos costumam desembarcar primeiro em grandes centros, para depois alcançar regiões menos povoadas.

WhatsApp para empresas
A Uber faz parte da próxima grande transformação do WhatsApp: a monetização do app. Durante o evento, a Meta sinalizou que apostará na construção de um ambiente propício para atendimento virtual para todo tipo de empresa.

A nova estratégia, porém, não afetará a forma que o WhatsApp funciona para conversas pessoais — elas seguirão privativas e criptografadas de ponta a ponta. Contudo, o contato com marcas e estabelecimentos pelo mensageiro pode ser ainda mais recorrente.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »