10/01/2022 às 16h35min - Atualizada em 10/01/2022 às 16h35min

Homem que ganhou na Mega-Sena e comprou Bitcoin é assassinado em SP

Um homem que ganhou R$ 25 milhões na Mega-Sena e chegou a usar parte do valor para comprar Bitcoin, foi assassinado no final de dezembro de 2021

Assessoria de imprensa
Foto: Imagem Ilustrativa
O crime ocorreu na cidade de São Paulo, contra Anselmo Becheli Santa Fausta, que chegou a ganhar na loteria brasileira. Segundo as investigações, ele tem um patrimônio de R$ 500 milhões e pode ser um ex-membro do crime organizado.

Homem que ganhou na Mega-Sena e comprou cerca de R$ 300 mil em Bitcoin foi assassinado

A Polícia Civil de São Paulo investiga o que aconteceu e motivou um crime de assassinato em plena luz do dia. O ocorrido, no dia 27 de dezembro de 2021, após uma série de crimes na região do Tatuapé, em São Paulo.

Anselmo, que era conhecido como “Magrelo”, foi alvo de vários disparos e faleceu no local. Seu braço direito e motorista, Antônio Corona Neto também morreu na hora.

O poderio de Anselmo no tráfico internacional de drogas chegou a ser equiparada a de André do Rap, sendo que ele já foi até considerado pelas autoridades como possível líder do PCC. Mas a ação do Magrelo era separada do grupo e ainda não está claro o que motivou sua execução. Quando lavava dinheiro, Anselmo utilizava várias técnicas para ludibriar investigações, como uma possível compra de Bitcoin e até bilhetes premiados da Mega-Sena. Um dos bilhetes que ele comprou tinha o prêmio de R$ 25 milhões, situação apurada pela polícia agora no esquema de lavagem de dinheiro.
Na apuração policial, apesar de não ter vínculos com o PCC, Anselmo era considerado um intermediador de compras internacionais, conhecidos como “brokers” pelas autoridades. Seu patrimônio agora está sob observação.

Desembargadora acredita que criptomoedas é um meio de pagamento muito usado
As investigações contra Anselmo começaram antes dele ser assassinado, também em 2021. Isso porque, ele pediu a 2.ª via de um RG falso, sendo que naquele momento as autoridades foram alertadas sobre o caso e começaram a investigar seus passos.
Além disso, ele recebeu quase R$ 25 milhões de uma premiação da Mega-Sena, com três cotas de cinco de um bolão vencedor. Com esse dinheiro, ele comprou R$ 300 mil em Bitcoin, além de realizar outras aplicações.



“A moeda mais fácil para ele trabalhar com certeza são essas moedas do mundo digital. A criptomoeda, é uma ferramenta, um meio de pagamento muito usado. Até porque, muitas dessas formas transitam no que a gente chama de dark web, fora daquela plataforma mais transparente que tem a internet”.

O ex-traficante assassinado vivia uma vida sem ostentação e era considerado discreto, mas agora tem seu patrimônio sob investigação após ser morto. A polícia ainda não tem suspeitos do envolvimento do assassinato, mas com quebras de sigilo as autoridades esperam encontrar mais informações.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »