20/11/2021 às 09h16min - Atualizada em 20/11/2021 às 09h16min

Férias de verão e feriados de fim de ano representam mais de 40% das vendas de viagens em outubro

Boletim Mensal da Braztoa também registrou crescente faturamento das operadoras de turismo

Governo de São Paulo
Destinos de Sol e Praia estão entre os mais procurados pelos turistas para as férias de verão - Foto: Márcio Filho/MTur
Faltando mais de um mês para o início do verão, a temporada promete ser intensa. É o que revela o Boletim Mensal da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), divulgado na quinta-feira (18/11). Segundo o estudo, as férias de verão e os feriados de Natal e Réveillon foram responsáveis por 40,4% das vendas de outubro. Também foi registrado uma forte procura pelo próximo feriado de Carnaval, celebrado em março de 2022.

O levantamento mostra ainda que 93% das operadoras de turismo vêm registrando aumento contínuo no faturamento. Além disso, 52% das operadoras alcançaram 50% do faturamento anterior à crise sanitária de Covid-19, sendo que 21% já ultrapassou esse índice. Acesse o Boletim AQUI.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, os números tendem a aumentar com a aproximação das festas de fim ano. “Estamos acompanhando os índices crescentes de atividades turísticas como os setores aéreo, rodoviário, hoteleiro e, agora, dos operadores de turismo. Este verão será um marco da retomada do turismo em nosso país, setor tão importante para geração de emprego e desenvolvimento”, destacou.

Os destinos de Sol e Praia continuam sendo os mais buscados, principalmente com a chegada do verão, mas os atrativos de luxo, resorts, viagens de inverno, ecoturismo e turismo rural também ganharam espaço e aparecem na lista de desejos dos viajantes.

O mercado nacional, por sua vez, representa a maior parcela das comercializações de outubro. No ranking dos destinos, Gramado (RS) lidera a lista, seguido por Natal e Salvador na segunda colocação, e Fortaleza, Maceió e Rio de Janeiro em terceiro lugar. Já Bonito (MS), Jalapão (TO) e São Luís (MA) então entre os destinos com crescimento expressivo nas buscas de viagens no período.

O coordenador-geral de Dados e Informações, Elton Medeiros, representou o Ministério do Turismo durante apresentação do boletim nesta quinta-feira e pontuou as principais tendências reveladas pelo estudo. “É fato que as viagens domésticas entraram de vez para a cesta de produtos dos turistas nacionais. Além disso, percebemos uma forte tendência para viagens compradas com pouca antecedência, principalmente para destinos próximos e não convencionais. Cidades do interior estão sendo mais procuradas, assim como destinos de natureza”, comentou.

Segundo o boletim, um quarto das vendas foram para embarque no próprio mês e 63% terão embarques ainda em 2021. Outros 30% foram para o 1º semestre 2022 e apenas 6% das viagens contam com planejamento a longo prazo e se realizarão no 2º semestre do próximo ano ou depois.

CRUZEIROS
O Boletim Mensal da Braztoa apontou que os Cruzeiros Marítimos representam 15% das vendas para o Carnaval, 12% para o Réveillon e 11% para o Natal. “Os dados são de vendas realizadas em outubro, quando a retomada dos cruzeiros ainda era uma expectativa. Agora que se tornou realidade, este número deve crescer”, destacou Roberto Haro Nedelciu, presidente da BRAZTOA.

Com protocolos robustos e experiências que oferecem transporte, hospedagem, alimentação e entretenimento em uma única viagem, a navegação vem ganhando força entre as opções escolhidas pelas pessoas e volta às vitrines de agências e operadoras, que representam 90% das vendas desse tipo de turismo.

OBSERVATÓRIO
O Ministério do Turismo lançou, no início do mês de novembro, o Observatório Nacional de Turismo. O espaço, desenvolvido pela Coordenação-Geral de Dados e Informações, reúne informações trabalhadas pela Pasta e apresenta-as aos usuários por meio de publicações, painéis, indicadores e anuários estatísticos.

A grande novidade são os painéis interativos, que trazem dois perfis de consulta: “Ocupações formais do setor de turismo no Brasil” e “Perfil socioeconômico das ocupações do setor de turismo no Brasil”. O primeiro, por exemplo, possibilita que os dados sejam filtrados por atividade do setor, ano, região e obtenha informações como o número de trabalhadores formais, a remuneração média do turismo e o cenário em cada uma das regiões do país. Acesse aqui o Observatório.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »