19/06/2021 às 15h04min - Atualizada em 19/06/2021 às 15h04min

Oitivas são suspensas após ausência de convocados

A comissão deve buscar junto à Justiça a condução coercitiva dos depoentes

Câmara Municipal de Birigui
O segundo dia de oitivas de testemunhas a respeito dos trabalhos da Comissão Processante que investiga a condução do prefeito, Leandro Maffeis (PSL), no gerenciamento do Pronto Socorro Municipal, foi marcado pelo depoimento de três dos sete convocados. Devido ao número de faltosos, somado às três testemunhas que não compareceram nas oitivas da última quarta-feira, 16, a agenda de oitivas foi declarada suspensa momentaneamente pelo presidente da comissão, vereador Andre Fermino Grosso (PSDB).

A declaração foi lida ao final da série de oitivas realizadas hoje, 17, no plenário da Casa. Conforme justificado, a medida torna-se necessária para preservar a linha de apuração dos fatos narrados na denúncia. 

A decisão suspende, portanto, as audiências agendadas para os dias 18, 21, 22 e 24 de Junho. A comissão deve providenciar, nesses próximos dias, solicitação ao Poder Judiciário para a condução coercitiva das testemunhas faltantes.

Depoimentos

Formada também pelos parlamentares Marcos Antonio Santos (Marcos da Ripada – PSL) e Paulo Sergio de Oliveira (Paulinho do Posto - Avante), a comissão coletou nesta quinta-feira os depoimentos de Nair Sabbo, secretária de Negócios Jurídicos; Miguel Ribeiro, presidente da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Birigui; e Andreia Aqueline de Souza, assessora de Cerimonial e Eventos da Prefeitura.

Os trabalhos contaram com a participação do advogado Daniel Sobral dos Santos Longue, designado representante do acusado, o prefeito Leandro Maffeis (PSL).

Tiveram hoje seus depoimentos dispensados pela comissão Diogo Pereira Sobreira, secretário de Obras Públicas; e o advogado Ricardo Luis Aroni, da Santa Casa de Misericórdia de Birigui.


Ainda entre as testemunhas previstas para serem ouvidas hoje, não compareceram o médico Roberto Said Boutos e a ex-secretária municipal de Saúde, Adriana Sangaletti Duarte – esta última enviou atestado médico como justificativa.

Já quanto às oitivas de ontem, 16, os ausentes são Vanessa Chioderoli Atale e os médicos Thiago de Camilo Figueiredo Mattos e Jossef Said Boutros.

Covid-19

A Comissão Processante apura se foram cometidos crime de responsabilidade e infração político-administrativa, por parte do prefeito, na condução dos atendimentos a pacientes com Covid-19.

A investigação foi instaurada após ser aceita em plenário uma denúncia de munícipes que questionam a qualidade do serviço prestado pelas equipes profissionais do Pronto Socorro e a contratação do Instituto São Miguel Arcanjo (Isma) para gerenciar a unidade.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »