07/04/2021 às 13h45min - Atualizada em 07/04/2021 às 13h45min

Como saber se meu filho precisa de óculos?

Estar atento aos sinais é primordial para garantir o bom desenvolvimento da visão nas crianças

Assessoria de Imprensa, Julia Ximenes
Foto: Imagem Ilustrativa
Entre os cinco sentidos do corpo humano a visão é considerada o mais importante, pois através dela nós conseguimos nos relacionar com o meio ao qual estamos vivendo, distinguindo objetos, formas, cores, texturas e outras coisas que nos possibilitam raciocinar sobre a realidade, bem como detectar perigos à nossa sobrevivência.
 
Os olhos são os órgãos responsáveis por executar este papel tão importante mas, como qualquer outro órgão, tem que estar em bom funcionamento para que a sua função apresente rendimento total.
 
Nossos olhos envelhecem por estarem expostos aos radicais livres presentes na atmosfera e portanto sujeitos a perderem as suas qualidades, inclusive, desencadearem uma deficiência visual parcial ou total.
 
Mas engana-se quem pensa que problemas oculares que levam às deficiências visuais aparecem só nos mais velhos. Fatores genéticos e hábitos de vida também contribuem para doenças relacionadas à visão em crianças e podem ser detectadas já nos recém-nascidos através do “teste do olhinho".
 
A maioria das deficiências visuais causadas por doenças oculares podem ser remediadas ou até mesmo curadas quando detectadas precocemente, portanto, pensando nisso, trouxemos 5 indícios para que os pais consigam perceber se os filhos estão precisando de óculos.

Pistas dadas por crianças até 5 anos quando estão precisando de óculos

Nos primeiros anos de vida escolar, muitas crianças são dispersas ou consideradas hiperativas, mas o que muitas vezes parece ser apenas um problema comportamental, na realidade pode ser consequência de uma vista prejudicada.
 
Crianças que costumam cair muito quando estão brincando, esbarram nas paredes ou batem a cabeça em objetos que poderiam ter desviado, podem estar dando uma indicação de que estão precisando de um ajuste na vista através de óculos de grau.
 
Uma criança que tem o hábito de apertar ou coçar os olhos para conseguir ver algo de perto, que apresenta dificuldades de reconhecer pessoas e para distinguir objetos à distância está evidenciando a necessidade de uma consulta oftalmológica.
 
Dores de cabeças também costumam ser pistas às quais devemos estar atentos se quisermos cuidar da saúde dos olhos de nossos filhos. Quando a criança tem um erro refrativo (miopia, hipermetropia, astigmatismo e outros) ela se esforça mais para enxergar coisas e a consequência disso pode ser o aparecimento de cefaléia durante o dia.
 
Por último, cabe aos pais observar a quantidade de tempo que a criança fica exposta às telas de celulares e tablets, pois assim, exercita-se exageradamente a vista de perto e isto pode desencadear um processo conhecido como acomodação visual, no qual o foco visual vai gradualmente se ajustando para perto e perde a capacidade de focar objetos à distância.

OMS alertou para alta incidência de miopia em crianças

A Organização Mundial da Saúde publicou o seu primeiro relatório mundial sobre visão, em outubro de 2019. Neste documento aponta-se que 2,2 bilhões de pessoas sofrem com doenças oculares, sendo que pelo menos 1 bilhão dessas pessoas poderiam ter evitado esses problemas com acesso à acompanhamento médico adequado.
 
O trabalho da OMS também fez um importante alerta para a epidemia de miopia que se alastra pelo mundo - devendo atingir 3,36 bilhões de pessoas até 2030 -, principalmente com as crianças, pois são as mais afetadas devido ao exponencial uso indiscriminado de smartphones, tablets e computadores.
 
Estudos realizados por especialistas brasileiros apontam que cerca de 20% das crianças em idade escolar apresentam problemas de vista, colocando o Brasil em um dos impressionantes epicentros dos erros refrativos (principalmente a miopia), que acontecem como um fenômeno mundial atualmente.
 
Doenças oculares em crianças devido à exposição às telas de eletrônicos já vem sendo estudadas pela comunidade científica há algum tempo, porém, a pandemia obrigou as autoridades a acenderem um alerta especial sobre a questão.
 
A quarentena fechou as escolas e isso obrigou as crianças a ficarem o dia todo em casa, o que consequentemente, tornou mais comum o hábito do uso de dispositivos móveis para estudar em casa ou brincar, além de que o tempo distraindo-se com as telas, se tornaram um truque para mães e pais que tinham que adequar novas suas rotinas pandêmicas.


O relatório reforça a ideia de que os cuidados com os olhos devem começar desde a infância, por ser a fase em que esses órgãos sofrem bastantes alterações naturais do desenvolvimento da criança. Se detectada precocemente, há grandes chances de que o indivíduo tenha remissão e até cura das doenças de visão.

Encontrando um oftalmologista para a criança

Como saber em qual oftalmologista levar meu filho?
 
  • Em primeiro lugar, deve-se buscar por referências de centros oftalmológicos confiáveis na região ou cidade, pesquisando sobre a história da instituição (consultórios ou clínicas), bem como os valores que carregam com relação ao atendimento aos pacientes;  
  • O próximo passo é avaliar o currículo do médico que foi designado para atender a criança, fazendo uma pesquisa prévia sobre os profissionais que atendem no centro oftalmológico para fazer uma análise se tais profissionais têm boa experiência com atendimento infantil, o que é bastante essencial e pode ser menos traumático para os pequenos;
  • O  terceiro passo é fazer com que essa experiência não seja assustadora  para o seu filho, pois muitas crianças têm receio dos exames que podem ser realizados. Também deve-se levar em conta o medo que as crianças nutrem de ser vítimas de bullying nas escolas caso necessite de óculos de grau;  
  • Antes da consulta ou exame, certifique-se que seu filho(a) se encontra seguro e esclarecido sobre o que irá acontecer, sobre as razões pela qual irá ao médico e promova acolhimento e confiança ao pequeno. O diálogo para preparar o período pré-consulta é importante;
  • Caso seja necessário o tratamento ou uso de óculos, se esforce para integrar os educadores e pedagogos que compõem a vida escolar de sua criança no processo. Eles são importantes para dar apoio à criança quando você não estiver por perto, evitando traumas;  
  •  Por fim, com o aumento na expectativa de vida global, sabemos que nossos filhos alcançarão idades avançadas e com certeza tudo que queremos é que possam ter seus olhos em perfeito funcionamento para que possam enxergar todas as transformações e belezas pelas quais o mundo passará.  

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »