03/04/2021 às 18h36min - Atualizada em 03/04/2021 às 18h36min

Sua nova lista de compras: Entenda o Low Carb

Vida Plena e Bem Estar
Foto: Divulgação
São diversos os métodos de dietas disponíveis atualmente para que você escolha a que mais te agrada e que conseguirá adaptar no seu dia a dia.

Segundo um levantamento feito pelo IBNF (Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional) a maioria das pessoas que fazem uma dieta, começam de forma autônoma, sem o acompanhamento de algum profissional apenas com o intuito da perda de peso.

Isso é apenas um indício de como a preocupação com a nutrição corporal está mais ligada à questões de autoestima e a busca pelo corpo perfeito do que a questão real, a melhora na nutrição corporal.

Isso é apenas um indício de como a preocupação com a nutrição corporal está mais ligada à questões de autoestima e a busca pelo corpo perfeito do que a questão real, a melhora na nutrição corporal.

A Coach em Nutrição Renata Vacco explica a importância da rotina alimentar saudável em pacientes que não apresentam nenhum fator de risco a saúde.

“Atendo diversas pessoas que vem me procurar após serem diagnosticadas com alguma doença que envolva o emagrecimento ou a mudança alimentar. Me deixa muito triste saber que grande parte do meu público é esse, pois mostra que as pessoas só se preocupam com a mudança na alimentação quando não tem outro jeito”.

Renata é especialista nas estratégias Low Carb e Cetogênica e mostra que a importância de ter o acompanhamento profissional é essencial para bons resultados.

“Você não é todo mundo, tem seu metabolismo, tem seu histórico alimentar, tem sua medidas e restrições, seguir o que deu certo para amiguinha só vai fazer que você fique desmotivada por não conseguir o mesmo resultado que ela”.

A Low Carb e Cetogênica vem ajudando diversas pessoas a passarem por problemas de saúde e encontrarem a melhor versão de si mesmas, assim como a pedagoga Kátia Carvalho que teve um AIT (Ataque Isquêmico transitórios) que é um problema cerebral causado pela falta de fluxo sanguíneo, onde precisou prestar mais atenção na saúde.

“Sabe quando você quer viver e não sabe mais o que pode ser feito? A LC e Cetogênica me salvaram, pois mudando a alimentação eu vi que influenciava nas alterações do meu coração e eu optei pela vida”.

Renata Vacco fala que esse caso é um de vários de pessoas que tiveram a vida salva pelas estratégias e fala os benefícios que ambas trazem para o dia a dia do praticante dessas estratégias.

Controla o nível de colesterol e triglicerídeos
Regula os níveis de açúcar no sangue
Diminui a ansiedade e o estresse
Melhora o funcionamento intestinal
Combate a retenção de líquidos
Ajuda em tratamentos neurológicos
Estimula a energia corporal
Redução da fome


Porém mesmo tendo diversos benefícios para a saúde as pessoas ainda não adequam sua rotina as estratégias apresentadas pois ainda há receios segundo a coach “As pessoas visam muito estratégias alimentares com dietas de perda de peso. No meio do processo acontece a perda de peso? Sim, porque as células começam a passar por um processo de desinflamação, o objetivo de todo profissional da saúde não é que todos virem um padrão de beleza, mas que tenham mais saúde para aproveitar todas suas singularidades, meu método mesmo é aliar essas estratégias com a parte cognitivo-comportamental”.

A Associação Brasileira de Low Carb explica que o método é bem simples. Em uma alimentação regular, entre 50 e 60% das calorias diárias vêm dos carboidratos.

A regra na Low Carb é priorizar os carboidratos integrais, fontes de proteína, oleaginosas e frutas com menor teor de carboidrato, fazendo que assim o corpo tenha apenas o suficiente para gastar no seu processo de consumo de energia diária, sem deixar acúmulos que acabam sendo gastos de outra forma como com a ansiedade.

A Cetogênica é considerada uma versão mais rígida da Low Carb sendo é caracterizada pelo alto consumo de gorduras e baixo carboidrato, índice ainda menor que a Low Carb, sendo nela permitida a alimentação de verduras e legumes, proteínas como carnes e ovos, leites, e oleaginosas.

Comparando as duas parece que não existe muita diferença, né? A questão está nas porções, rotina alimentar e seu desejo a ser alcançado com as estratégias. Antes de aplicar qualquer uma das estratégias é necessária muita pesquisa e o auxílio de um profissional de saúde qualificado.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »