22/02/2021 às 14h28min - Atualizada em 22/02/2021 às 14h28min

MPSP e Insper lançam ferramenta que analisa gastos eleitorais de 2020

Funcionalidade permite identificação de eventuais inconsistências

MPSP
O MPSP lança nesta segunda-feira (22/2), em parceria com o Instituição de Ensino Superior e Pesquisas (Insper), painel eletrônico em Business Intelligence (BI) jogando luzes sobre os gastos eleitorais de 2020, com análise comparativa entre os valores despendidos por candidatura. A ferramenta foi construída a partir de dados públicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), analisados e depurados por Danilo Carlotti, doutor em Direito, cientista de dados e pesquisador do Insper, enquanto o Núcleo de Inteligência e Gestão de Conhecimento (NIGC) deu o tratamento final, chegando-se aos painéis digitais divulgados agora. A ferramenta é composta por cinco painéis, sendo os quatro primeiros públicos e o quinto restrito ao MPSP. 

O painel de abertura exibe números totais das últimas eleições, contextualizando o pleito. O segundo e principal painel permite diversos cruzamento de dados, entre candidatos, localidade (municípios) e partidos em face de gênero e etnia, e, principalmente, do valor gasto e votos auferidos por cada um, viabilizando comparações, por exemplo, entre os gastos de determinada candidatura com a quantidade de votos recebidos (as setas identificam nominal e automaticamente os candidatos no gráfico). O terceiro painel indica o valor médio de gasto por partido, gênero e etnia, servindo como mais um parâmetro para o gasto efetivo de cada candidatura.

Os cruzamentos de dados permitem identificar discrepâncias entre (altos) valores gastos com determinadas candidaturas face ao número (reduzido) de votos recebidos.

O quarto painel apresenta os valores gerais gastos com cada fornecedor pelo conjunto das candidaturas. O quinto painel, restrito à instituição, apresenta possível fator de risco associado a gastos de determinadas candidaturas. 

"A análise deste conjunto de dados não tem a pretensão de identificar uso ilícito de recursos, mas de jogar luzes sobre situações eventualmente suspeitas ou estatisticamente anormais, as quais podem auxiliar na fiscalização dos gastos públicos de campanha", esclarece Carlotti. 

"A ferramenta vem em boa hora, podendo auxiliar as Promotorias Eleitorais no exame das contas das candidaturas de 2020, com a identificação de eventuais inconsistências, bem como, neste momento histórico, reforçando a preocupação com as candidaturas de grupos até hoje sub-representados nas urnas", argumenta o procurador Luiz Fernando Rodrigues Pinto, secretário especial de Assuntos Eleitorais do MPSP.

A ferramenta está disponível para análise de toda sociedade e às Promotorias Eleitorais, às quais incumbe a análise das prestações de contas das candidaturas, nos seguintes endereços:


http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/Eleitoral

http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/Nucleo_de_Inteligencia

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »