22/02/2021 às 14h20min - Atualizada em 22/02/2021 às 14h20min

Você sabe o que é Home Staging?

Imóveis ficam mais atraentes para venda e locação com técnica, que é uma mistura de decoração e marketing

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
Utilizado nos Estados Unidos desde a década de 70, o Home Staging tem se popularizado no Brasil nos últimos anos e já está promovendo mudanças significativas no mercado imobiliário. Mesmo imóveis parados há anos, ganharam cara e donos novos por conta da estratégia.
 
Não sabe do que estamos falando? Trata-se de uma junção de princípios de decoração e marketing para preparar um imóvel para venda ou locação. Segundo especialistas,o Home Staging é capaz de causar ótimas impressões em potenciais compradores, aumentando as chances de que eles fechem negócio.
 
A ideia surgiu em uma imobiliária americana, quando uma corretora percebeu que a forma como um imóvel é apresentado tem mais influência do que se imaginava na hora de conquistar um possível comprador.
 
A criadora do conceito, Barb Schwarz, afirma que algumas alterações, como a escolha e a disposição dos móveis, são decisivas para melhorar a imagem de um local. Segundo ela, com os artifícios certos, é possível não só aumentar a probabilidade de venda, mas também conseguir um valor mais alto por ela.
 

Foco na primeira impressão

Imagine que você quer comprar um imóvel. O que você gostaria que ele tivesse? Os especialistas dessa técnica se fazem essa pergunta antes de pensar no que fazer para  aumentar as potencialidades de um local. O objetivo é impressionar o possível comprador, fazendo com que ele já se sinta em casa na primeira visita.
 
Não há dúvidas de que uma primeira impressão positiva é decisiva para quem vai realizar o sonho de comprar um imóvel. Os corretores sabem e exploram isso. Numa tradução literal, o termo significa “encenação da casa”, que é uma forma simplificada de explicar o que o Home Staging se propõe a fazer.
 
A ideia é que a decoração seja convidativa, que faça a pessoa ter vontade de morar ali. Em alguns casos, até mesmo elementos cenográficos, como plantas e utensílios domésticos, são inseridos, para simular a vida cotidiana. Muito diferente de visitar um imóvel vazio.
 

Todos os detalhes importam

A decoração costuma ser clean e moderna. A encenação tem foco em locais-chave, como aquele canto mais iluminado ou com uma vista mais bonita. Cores muito fortes, assim como móveis cheios de estilo, costumam ser evitados, afinal a ideia é agradar aos mais diversos perfis de compradores.
 
Além de potencializar tudo o que aquele local tem de bom, investindo nos móveis certos e em uma disposição que aproveite o melhor de cada ambiente, também é importante esconder os pontos fracos. Por isso, toda imperfeição é camuflada, com uma pintura nova, por exemplo.
 
A limpeza do espaço também faz diferença, até mesmo nos detalhes como teto e rodapés. Como a ideia é simular que alguém vive no local, ele deve ser o mais organizado possível, dando impressão de estar bem cuidado.
 

Investimento tem promessa de retorno

No Home Staging, as fotos profissionais são muito valorizadas, pois elas, provavelmente, serão o primeiro contato do cliente com o imóvel. Técnicas avançadas de marketing também são utilizadas nos anúncios, que costumam ser embasados em uma boa pesquisa de mercado sobre aquela região.
 
Outra prática muito comum nos Estados Unidos, o open house, também costuma fazer parte da estratégia. Faz sentido: depois que o imóvel está todo arrumado, abrem-se as portas para visitação em dias específicos. Mesmo a impressão de que há vários interessados faz diferença.
 
Tudo isso depende de algum investimento do proprietário, mas a promessa é de que esse valor seja recuperado, e com acréscimos, quando a venda for concretizada. Isso em menos tempo e a um preço mais alto do que aquele que se conseguiria sem as mudanças.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »