27/01/2021 às 09h46min - Atualizada em 27/01/2021 às 09h46min

Após polêmica do leite condensado, Portal da Transparência do governo sai do ar

Gastos públicos

Yah Notícias
Lista de compras do governo federal foi alvo de críticas durante toda a terça-feira (26) - Foto: AP Photo/Eraldo Peres
Depois da polêmica envolvendo a lista bilionária de compras da gestão de Jair Bolsonaro (sem partido), o Portal da Transparência do governo federal saiu do ar na noite desta terça-feira (26). Órgãos do executivo pagaram R$1,8 bilhão em alimentos.

Destacou-se o valor “absurdo” da unidade da lata do produto: R$ 162 reais cada uma. O valor de R$ 15 milhões equivale a 7.200 latas por dia.

Até às 7h30 desta quarta-feira (27), o portal ainda estava fora do ar. O governo ainda não se posicionou oficialmente sobre o assunto.

PSOL aciona PGR

O deputado David Miranda (PSOL-RJ) protocolou uma ação pedindo que o procurador-geral da República, Augusto Aras, investigue o gasto de R$ 1,8 bilhão do governo federal em alimentos e bebidas no ano de 2020, um aumento de 20% em relação a 2019.

O parlamentar solicita que o órgão apure os fatos e responsabilize o presidente Jair Bolsonaro. Também assinam o documento as deputadas Sâmia Bomfim (PSOL-SP), Fernanda Melchionna (PSOL-RS) e Vivi Reis (PSOL-PA).

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) ameaçou entrar na Justiça para cobrar explicações sobre os “gastos absurdos”.

"Entrarei na justiça para pedir explicações sobre os gastos absurdos do Bolsonaro! Mais de R$ 15 milhões em Leite Condensado e Chiclete com dinheiro público? Isso é corrupção!", 


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »