27/01/2021 às 09h01min - Atualizada em 27/01/2021 às 09h01min

Mais de 1.100 pessoas se inscreveram em processo seletivo emergencial da saúde

Portal LR1
PROCURA - Postulantes a vagas temporárias na área da saúde fizeram fila na sede do governo biriguiense. ( Foto: Reprodução LR1)
A terça-feira (26) foi de muita movimentação na sede administrativa do poder executivo em Birigui. Após o anúncio da abertura emergencial de 144 vagas na área da saúde devido à crise neste setor do município, a prefeitura processou 1.149 inscrições de interessados.

Os candidatos às vagas tinham somente o dia de ontem para se inscrever gratuitamente nas vagas de técnico de enfermagem (75), enfermeiro (35), farmacêutico bioquímico (4), auxiliar de serviços gerais (10) recepcionista (10) e porteiro (10). A carga horária de trabalho para todas as funções é de 40 horas semanais.

Os salários oferecidos são de R$ 1.100 para porteiro e auxiliar de serviços gerais, R$ 1.143,58 para recepcionista, R$ 2.971,36 para técnico em enfermagem e R$ 4.350,41 para farmacêutico bioquímico e enfermeiro.

Por causa disso, desde a madrugada, já havia pessoas em frente ao local aguardando a abertura do horário de inscrições. A reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL passou pelo local por volta das 5h40 e já havia 4 pessoas aguardando o período de abertura das inscrições, que começou às 7h.

Durante todo o dia, a fila de postulantes às vagas dobrou o quarteirão da sede administrativa do governo biriguiense. No final da manhã, segundo informações obtidas pela reportagem, a fila estava começando na rua Jacobe Stábile, aos fundos da sede, dobrando a esquina da rua Roberto Antunes, e chegando até à frente da sede, na rua Anhanguera, que fica no Jardim Morumbi.

Emergencial

A contratação ocorre em caráter emergencial e temporário em seis cargos. O contrato de trabalho terá duração de seis meses, podendo ser prorrogado por igual período.

Devido aos problemas da Organização Social de Saúde da Santa Casa, alguns serviços estão comprometidos e funcionários ameaçam greve a partir de quinta-feira por falta de pagamento.

A seleção em caráter emergencial é amparada pelo decreto 6.823/2021, que declarou estado de calamidade pública na área da saúde do município. O objetivo é assegurar a continuidade dos atendimentos essenciais à população. O edital do processo seletivo foi publicado na segunda-feira em edição extra do Diário Oficial Eletrônico.

OSS investigada e possível greve

A Organização Social Santa Casa de Birigui anunciou, que está sendo investigada pela Operação Raio-X, deflagrada em setembro de 2020, que apura desviou na saúde, anunciou que vai deixar de prestar serviço para o município no final de fevereiro.

Além disso, funcionários ligados à OS não recebem os salários desde dezembro e planejam iniciar uma greve a partir desta quinta-feira. Desde a semana passada, apenas os atendimentos mais urgentes estão sendo feitos.

Segundo a direção da OS, a prefeitura não repassou o valor correspondente ao pagamento da folha salarial dos funcionários. A prefeitura alega que, por causa da investigação, a organização perdeu o Certificado de Regularidade Cadastral de Entidades, emitido pelo estado, o que impede o pagamento.

Na última segunda-feira, a Justiça de Birigui, através do juiz Lucas Gajardoni Fernandes, deu prazo de cinco dias úteis para que a prefeitura faça os repasses dos convênios com a OS, que é responsável pela gestão do pronto-socorro municipal, pronto-atendimento da UBS do bairro Cidade Jardim e do programa Estratégia Saúde da Família.

 
*matéria cedida pelo Portal LR1

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »