15/01/2021 às 15h45min - Atualizada em 15/01/2021 às 15h45min

É golpe! Ministério da Saúde alerta sobre telefonemas para “marcar vacinação”

Olhar Digital
Foto: Divulgação
Com a expectativa pelo início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil , surge uma oportunidade para os criminosos usarem sua habilidade de engenharia social para prejudicar cidadãos incautos. O Ministério da Saúde publicou em seu perfil no Facebook um alerta sobre um golpe que usa a vacinação como “isca” para roubar contas em “aplicativos de mensagens”.

Segundo a mensagem, os golpistas simulam um agendamento para vacinação contra a Covid-19 e ao final pedem que a vítima informe um “código de confirmação” enviado ao aparelho. Se a vítima fizer isso, estará efetivamente dando aos bandidos acesso à sua conta do WhatsApp ou Telegram.

Resumindo, é o velho golpe do WhatsApp com uma cara nova. De posse da conta, os criminosos começam a pedir dinheiro a amigos e parentes na lista de contatos, ou usam informações das conversas para extorsão.

Em julho uma tentativa de golpe da falsa vacinação do WhatsApp foi gravada por uma “vítima”, que estava ciente do que estava acontecendo. No áudio, o criminoso não só confirmou o esquema como admitiu que o método pode garantir R$ 20 mil em apenas duas semanas. Ao ouvir todo o protocolo da fraude, a quase vítima pergunta se muitas pessoas caem no esquema. “Se eu fizer 50 ligações no dia, em umas 39 eu consigo [o código]”, diz o golpista. 

O Ministério da Saúde lembra que não telefona para marcar vacinação, e que jamais pede confirmação de dados. A campanha nacional de vacinação contra a Covid-19 deve começar no dia 20 de janeiro.

PIX agora é usado em golpes no WhatsApp

Antigamente, ao aplicar o golpe do WhatsApp os criminosos se passavam por um conhecido da vítima (usando uma conta roubada) e pediam dinheiro para cobrir uma suposta despesa de emergência. O envio do dinheiro era feito por meio de transferências bancárias comuns, que levavam algumas horas ou até um dia para de fato serem efetivadas.

Mas com a chegada do PIX, que promete transações instantâneas entre contas – sejam elas de bancos tradicionais ou digitais -, os golpes estão se modificando e ganharam um detalhe bastante perigoso: a dificuldade para recuperação dos valores.  

Isso porque, devido à rapidez com que os pagamentos são enviados, os criminosos conseguem movimentá-lo quase que imediatamente, diminuindo drasticamente o tempo que a vítima tem para entender que caiu no golpe do WhatsApp e acionar o banco para solicitar o cancelamento da transação.  

De acordo com alguns bancos, a devolução até é possível, mas deve ser analisada caso a caso, já que o usuário autorizou a transferência do dinheiro. Mesmo assim, é recomendado que, assim que o usuário perceber que foi vítima do golpe do WhatsApp, comunique o banco para o qual o dinheiro foi destinado. Em segundo lugar, é importante se resguardar por meio de um boletim de ocorrência. Por fim, se houver problemas para resolver a questão com o banco, é possível registrar uma reclamação no Banco Central.  

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »