03/12/2020 às 12h07min - Atualizada em 03/12/2020 às 15h06min

Instituto Olga Kos lança campanha no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Organização que promove projetos artísticos, esportivos e capacitação social como ferramentas de inclusão social aproveita data para questionar expressões associadas às pessoas com deficiência

SALA DA NOTÍCIA Redação
Redação
Divulgação
O Instituto Olga Kos aproveitou o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, nesta quinta-feira (03/12), para lançar a campanha “Coitadinho é seu preconceito”. A iniciativa contempla uma série de ações que questionam termos e expressões normalmente associadas a pessoas com deficiência.
A campanha contempla um glossário digital sobre termos a serem evitados em referências a pessoas com deficiência. Beneficiários do Instituto Olga Kos também criaram vídeos em que questionam palavras como “doente”, “incapacitado”, “especial”, “portador” e “coitadinho”, criando um link entre isso e a assinatura do projeto.

O Instituto Olga Kos também criou uma roda de conversa entre mães de pessoas com deficiência para falar justamente sobre essas terminologias. Qual o impacto de expressões como “doente” na vida dos filhos e como isso influencia a inclusão deles na sociedade? O debate será realizado na sede do Instituto Olga Kos, em São Paulo, às 12h30, com transmissão ao vivo via internet.

Às 19h, a programação do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência ainda terá um plantão de dúvidas com Luan Esposito e Natália Mônaco, do Departamento de Pesquisas do Instituto Olga Kos. O evento será online, gratuito e aberto na plataforma Zoom.

O plantão de dúvidas faz parte do “Expansão e Movimento”, projeto lançado em outubro que contempla uma extensa programação online voltada a discutir a inclusão de pessoas com deficiência.

“O IOK acredita que é preciso ir sempre além. Necessitamos da promoção de discussões sobre essa temática, traçar estratégias que sejam pertinentes e ações sustentáveis para a causa das pessoas com deficiência. Essa luta não se restringe as pessoas com deficiência e deve incluir toda a sociedade”, afirma Natália.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 10% da população mundial possui algum tipo de deficiência. No Brasil, mais de 45 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência, o que corresponde a quase 24% da população, como revela a última pesquisa Censo 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Um panorama sobre a qualidade de vida de pessoas com deficiência revela inúmeras dificuldades no acesso às áreas de sobrevivência humana, como saúde, educação, cultura e lazer. O Instituto Olga Kos (IOK) atua na contramão dessa realidade. A organização que atende em São Paulo cerca de 3 mil crianças, adolescentes e adultos com deficiência intelectual encontrou nas atividades artísticas e esportivas as ferramentas capazes de realizar inclusão social. O IOK também atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »