26/11/2020 às 15h17min - Atualizada em 26/11/2020 às 15h17min

Canções de Tom Zé ganham versões em piano e voz em live de cantora e pianista do interior de SP

Transmissão ao vivo com dupla acontece em 1º de dezembro, às 19h30, com acesso livre e gratuito

Assessoria de Imprensa
Foto: Manu Zambon
De versos da canção de Tom Zé chamada "Multiplicar-se única" ("Toda canção quer se multiplicar/ na multidão única se tornar") e da referência a sua trilogia de álbuns "Estudando o Samba", "Estudando a Bossa-Nova" e "Estudando o Pagode", surgiu o nome do projeto "Multiplicando Tom Zé". Neste show, a cantora Talita Rustichelli (Araçatuba SP) e a pianista Ariane Bego (Birigui SP) homenageiam o compositor tropicalista trazendo para o ambiente online sua obra sem fronteiras e sem amarras em um formato intimista, porém não menos energético. A apresentação será transmitida ao vivo no dia 1º de dezembro, terça, às 19h30, pelo canal da cantora no YouTube (www.youtube.com/talitanr).
 
Músicas de diferentes fases da carreira do artista baiano foram selecionadas para o repertório. Entre elas estão: "Parque Industrial", "São, São Paulo", "Papa Francisco Perdoa", "Augusta, Angélica e Consolação", "Você Gosta?", "Menina Amanhã de Manhã" e "Politicar". 
 
O projeto nasceu presencial e agora ganha esta edição virtual. A primeira apresentação do show "Multiplicando Tom Zé" aconteceu em fevereiro de 2020 na abertura de um evento em um teatro de Araçatuba, para cerca de 400 pessoas presentes. Agora, o público acompanhará o show pelas telas de computadores, smartphones e tablets. Como explica Talita, o novo formato exige um tipo diferente de interação com quem está assistindo. 
 
"A internet possibilita muitas coisas, entre elas, a dispersão rápida. A gente costuma fazer mil coisas ao mesmo tempo hoje em dia! É claro que o repertório já é atraente, as músicas têm um apelo diferenciado nas letras do Tom e também nos arranjos que fizemos. Mas, nosso desafio é manter a conexão das pessoas, em todos os sentidos, fazer com que nossa 'comunicação musical' seja eficaz, com que a nossa arte toque as pessoas mesmo à distância. Então, além de cantar e tocar, a gente também vai falar um pouco com quem estiver do outro lado da tela. Teremos um apoio, que nos ajudará a responder mensagens de quem estiver assistindo, por exemplo", diz. 
 
"É claro que a emoção do palco, da presença das pessoas, é diferente da emoção das câmeras e das telas. O calorzinho humano é importantíssimo. Mas estamos em um momento de distanciamento social necessário. Ainda bem que temos as ferramentas online para continuar cantando e tocando, levando o aconchego da arte para o público", complementam as musicistas. Talita ressalta ainda que todos os cuidados e regras de saúde e prevenção ao coronavírus serão tomados no local. 
 
A transmissão será feita no Espaço Geometria Social, em Araçatuba, sem a presença de plateia, e será o primeiro show realizado no local, que será inaugurado em breve.
 
O projeto do show foi vencedor de uma premiação oferecida pela Secretaria Municipal de Cultura de Araçatuba, viabilizada por meio de um edital de música de 2019 e do Fundo Municipal de Apoio a Cultura de Araçatuba. 
 
Sobre Tom Zé

Tom Zé tem mais de 80 anos e uma energia criativa que não se esgota. O baiano de Irará, que participou de grandes festivais de música nos anos 1960, mas depois passou por uma injusta fase de ostracismo, continua ativo e tem muito a oferecer: canções ousadas (nas letras e musicalmente), performances de palco intensas, temas atuais e, em sua banda, músicos de alto nível.

 

Estudou música na Universidade Federal da Bahia, em Salvador, tendo como professores Walter Smetak (compositor experimental) e Hans Joachin Koellreutter (o introdutor do dodecafonismo no Brasil). Já em São Paulo, participou do movimento Tropicalista, compondo músicas recheadas de crítica e ironia, como "2001", parceria com Rita Lee, e "São São Paulo", vencedora do IV Festival de MPB da TV Record, em 1968.

 

Na década de 1970, o público e a crítica pareciam não estar preparados para seus trabalhos muito inovadores e criativos, levando-o a uma fase de ostracismo, que durou até o final dos anos 1980, quando David Byrne, do grupo Talking Heads, o descobriu e o lançou nos Estados Unidos e na Europa. Desde então, Tom Zé voltou a ser prestigiado, tanto dentro quanto fora do Brasil, e se mantém produtivo. Seu disco mais recente é "Sem Você não A – Uma fábula alfabética de Tom Zé e Elifas Andreato"; lançado em 2017, é seu primeiro trabalho para o público infantil.

 

 

SOBRE ARIANE E TALITA

A pianista Ariane Bego e a cantora Talita Rustichelli se apresentam juntas desde 2010. Começaram tocando em bares, restaurantes, cerimônias e eventos em geral (trabalho que ainda realizam), como a maioria dos músicos, e em 2011 fizeram o primeiro show: "Samba em Boca de Mulher". O projeto homenageou cantoras de samba e circulou por cidades como Araçatuba, Birigui, Guararapes, Nova Luzitânia e Lourdes, por meio de instituições como Sesc Birigui, Sesi Birigui e Oficinas Culturais do Estado de São Paulo.

 

 

Ao lado dos músicos Henrique Pereira (baixo), Leandro Guimarães (trombone) e Pepa (bateria), realizaram ainda o show "Desde 'Pelo Telefone' – 100 anos de samba". Em 2016 o projeto teve sua estreia, por meio do Sesc Birigui, e também foi aprovado no edital de Música do Fundo Municipal de Apoio a Cultura, da Secretaria de Cultura de Araçatuba. Pelo show, os músicos também foram homenageados com o Troféu Odette Costa 2017. Com o Trio Correndo Atrás e convidados, Talita e Ariane realizaram em 2018 o show "Todas Nós" (no Sesc Birigui), em evento de combate a violência contra a mulher. O grande interesse e admiração da cantora pela obra de Tom Zé e a versatilidade e talento da pianista foram reunidos agora com a finalidade de celebrar o trabalho realizado pelo artista até hoje. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »