28/10/2020 às 20h14min - Atualizada em 29/10/2020 às 00h00min

Investir em imóveis nunca foi tão atrativo

SALA DA NOTÍCIA Nathália Silva
Devido às consequências da pandemia, a taxa Selic baixou a níveis históricos. Atualmente está em 2% ao ano. Este é o menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. Para se ter uma ideia de como este número está baixo, em 2015 a taxa Selic alcançou o patamar de 14,25% ao ano. 

O que isso significa? A taxa Selic baixa gera duas principais vantagens para o investimento no mercado imobiliário. Primeiro que, como ela influencia diretamente na taxa de juros, é o momento ideal para fazer financiamentos. Em contrapartida, a remuneração de aplicações financeiras cai bruscamente, pois estas são rentáveis quando a inflação está alta. Quanto mais os juros caem, menos faz sentido optar pela renda fixa. Assim, o momento atual é, indiscutivelmente, o mais propício para comprar um imóvel. Antes da chegada da pandemia do novo coronavírus, 55% dos entrevistados tinham intenção de comprar um imóvel nos próximos três a seis meses e, após o isolamento social, esse patamar subiu ligeiramente para 56%, segundo levantamento da Xaza, plataforma de intermediação de processos de compra e venda de imóveis, em parceria com a empresa de pesquisas Toluna.

Ademais, imóveis desde sempre foi o investimento mais seguro. “Muitas pessoas que investiram seus recursos em fundos e ações perderam dinheiro nesta pandemia e alguns estão tendo prejuízos bastante consideráveis pois somente em março de 2020 a bolsa variou 35% para baixo. Os números melhoraram em alguns períodos, mas há muitas oscilações e o cenário ainda é bastante incerto. Além de não sofrer diretamente com as variações da bolsa, investimentos em imóveis não têm relação direta com a quebra dos bancos e não podem ser congelados pelo governo como a poupança”, afirma o Gestor de Imóveis Eduardo Luíz, CEO da EPAR Business Experts e sócio da Alug+.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »