25/10/2020 às 10h56min - Atualizada em 25/10/2020 às 10h56min

Câmara quer processar prefeito Dilador

Portal LR1
O prefeito Dilador Borges (PSDB) e o sindicalista José Avelino Pereira, o Chinelo (Foto: Reprodução Portal LR1)
A menos de três meses do término do atual mandato, o prefeito Dilador Borges (PSDB) e a vice-prefeita Edna Flor (Cidadania) são alvo de mais um pedido de CP (Comissão Processante) na Câmara Municipal. Novamente apresentada pelo advogado Lindemberg Melo Gonçalves, a denúncia tem base na conclusão de inquérito da Polícia Federal sobre a Operação #TUDONOSSO segundo o qual o chefe do Executivo tinha conhecimento do domínio do sindicalista José Avelino Pereira, o Chinelo, sobre as empresas Bolívia Comércio de Materiais de Limpeza Ltda – ME e IVVH – Instituto de Valorização da Vida Humana. Estas empresas tinham contrato com o município e são investigadas na operação. No documento, Chinelo é citado como líder da organização criminosa.

Diante da conclusão da PF, para Lindemberg, “resta evidenciado a conduta tipificada como ato de infração político-administrativa do prefeito e de sua vice-prefeita, como denominado de ‘facilitador’ ao grupo, tendo como líder Chinelo, tivesse êxito em suas práticas de contratações maculadas”.

Para o advogado, a aceitação da denúncia pelo Legislativo é importante para que haja uma investigação até onde consistiu a apontada “facilitação” ao grupo de Chinelo.

“A afirmação é de que as empresas foram criadas em nome de ‘laranjas’, mas são verdadeiramente de propriedade do Chinelo se dá porque através das escutas telefônicas conduzidas pela polícia Federal autorizada pela justiça, quem negocia e cobra os pagamentos é o próprio Chinelo ao prefeito Dilador. Assim, a prova vem em forma robusta”, diz Lindemberg.

PAPINHA IMPEDIDO

No pedido, ele recomenda que a Câmara impeça o vereador Rivael Papinha (DEM) de participar da votação por ser apontado também como um dos facilitadores do esquema.

Lindemberg foi um dos autores dos últimos pedidos de CP contra Dilador no Legislativo, todos arquivados. Se a CP for criada, Dilador será afastado do cargo e, ao término dos trabalhos, os vereadores concluírem que houve irregularidades pode ser cassado.

*matéria cedida pelo Portal LR1
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »