23/10/2020 às 17h20min - Atualizada em 25/10/2020 às 09h32min

Black Friday 2020 e moda inclusiva

A presença de campanhas e produtos direcionados para minorias, durante os descontos de novembro, aponta para novos caminhos da moda. Entenda o fenômeno.

SALA DA NOTÍCIA Wisrah

Os brasileiros já estão bastante familiarizados com a Black Friday. Apesar de ter origem estadunidense, desde que chegou em nosso país oficialmente, em 2010, o dia D das ofertas foi muito bem-recebido, tanto por consumidores, quanto pelo comércio.

Inicialmente, pensada para acontecer em um só dia, ela já é estendida por uma semana e até por todo o mês por vários seguimentos do comércio nacional. Dessa maneira, novembro já se tornou o período de compras que antecedem o Natal, sendo aproveitado por muitos que querem economizar na época de promoções.

Entre os principais setores, a moda é um dos que mais movimenta capital no Brasil. Com diversas campanhas, aquelas relacionadas aos direitos do corpo da mulher, ao combate ao racismo e às questões dos direitos LGBQTIA+ têm se tornado um foco.

Mais do que isso, tem se pensado de que maneira a moda pode efetivamente influenciar no pensamento da sociedade, em especial, nos momentos de grandes compras, como acontece na Black Friday.

Diversidade nas campanhas

A moda é uma dos setores com maior impacto na construção do pensamento coletivo da sociedade, por isso, tem uma grande responsabilidade. Nas últimas décadas, a glamourização de modelos extremamente magras, brancas e com padrões de beleza construídos sob fundamentos inalcançáveis tiveram profunda influência na mídia.

Por um lado, a moda também reflete um pensamento pré-existente. Quando analisamos a construção de uma imagem ligada aos padrões europeus no Brasil, percebemos que isso faz parte do histórico cultural do país, mesmo que não reflita a realidade da nação.

Por outro, entretanto, afirmar esses padrões e normalizar essas expectativas traz um efeito negativo, especialmente, em campanhas publicitárias. A verdade é que a moda é um setor complexo, que envolve muitos outros, desde a produção da roupa até os desfiles, as campanhas fotográficas, o patrocínio de produções audiovisuais e as comissões aos artistas.

Nos últimos anos, contudo, esses questionamentos têm sido levantados de maneira um pouco mais crítica, por isso, temos visto cada vez mais campanhas de moda que se propõem a pensar em uma indústria mais diversa.

Na Black Friday, devido aos grandes investimentos em publicidade e descontos, isso fica mais evidente. Desse modo, muitas empresas e marcas têm se engajado com propostas mais diversas em suas campanhas.

Dentre elas, vale citar a inclusão de pessoas negras, com ascendência indígena, transsexuais, gordas e portadoras de deficiência no casting de desfiles, o que já é um avanço. O desafio atual, porém, é a inclusão desses corpos em cargos de direção do pensamento criativo, algo que ainda acontece pouco no mercado.

Roupas para todo mundo

Entretanto, mais que campanhas, produtos têm sido pensados especialmente para públicos antes ignorados. Pessoas gordas, por exemplo, ainda hoje, relatam ter dificuldade em encontrar itens da moda e tendências das estações em tamanhos maiores. Contudo, algumas empresas têm trabalhado nesse sentido. Observando o crescimento dessas ações, é possível afirmar que a previsão é que isso se amplie.

Segundo dados da Associação Brasil Plus Size (APBS), o setor de vestuário teve uma tímida queda de 5% nos últimos 3 anos. No entanto, no mesmo período, a moda Plus Size experienciou o crescimento de 21%. De acordo com a APBS, esse movimento continua — apenas no ano de 2020 é esperado que ele chegue a 20%.

A verdade é que a indústria tem percebido não só a importância de se responsabilizar pelos seus impactos na sociedade, mas também um grande campo inexplorado para investimento.

Durante a Black Friday 2020, é esperado que não só as campanhas sejam mais inclusivas, mas os produtos também sejam pensados para mais pessoas. De todo o modo, mesmo com avanços, ainda existe muito para ser construído e desconstruído na indústria da moda nacional.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »