28/08/2020 às 09h13min - Atualizada em 28/08/2020 às 09h13min

Atlas da Violência: SP é o estado com os menores indicadores de violência no Brasil

Estudo do Ipea confirma tendência de queda verificada pelos indicadores criminais divulgados mensalmente pela SSP

Governo do Estado de São Paulo
Foto: Divulgação

O Atlas da Violência 2020, apresentado nesta quinta-feira (27) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), confirma a consistente redução de indicadores criminais no estado de São Paulo nos últimos dez anos, especialmente no que se refere à preservação de vidas.

Conforme apontam também os dados estatísticos divulgados mensalmente pela SSP, São Paulo mantém a menor média de homicídios do país, incluindo-se as mortes registradas em grupos como negros, mulheres e jovens. O estudo, de abrangência nacional, constata a eficiência das políticas públicas de segurança e sociais adotas pelas gestões estaduais no período e reforçam a condição de São Paulo como o estado mais seguro do Brasil para se viver e empreender.

Além de revelar a drástica redução no número de homicídios em território paulista (queda de 47% de 2008 a 2018), o estudo do Ipea mostra, ainda, que os indicadores de São Paulo são muito inferiores à média nacional. Em 2018, por exemplo, de acordo com o documento, o Brasil registrou 27,8 homicídios por 100 mil habitantes, enquanto o índice estadual foi de 8,2 ocorrências para cada grupo de 100 mil habitantes.

Dados recentes da Secretaria de Segurança Púbica (SSP), entretanto, indicam que a taxa de mortes em São Paulo é ainda menor. No período de julho de 2019 a agosto de 2020, o indicador paulista fechou em 6,44 mortes por 100 mil habitantes.

Mais índices

O estado de São Paulo também reduziu o número de homicídios dolosos de jovens entre 15 e 29 anos, ao contrário da média nacional. Segundo o Atlas da Violência, a taxa estadual caiu de 27, em 2008, para 13,8 homicídios por 100 mil habitantes nessa faixa etária, em 2018. A queda foi de 48,8%. No mesmo período, o indicador nacional passou de 53,3 para 60,4 mortes por 100 mil habitantes.

São Paulo também é o estado com menor taxa de homicídio de mulheres em todo o território nacional, de acordo com o estudo do Ipea. Entre 2008 e 2018, o índice recuou 36,3% – caiu de 3,1 para 2 mortes em cada grupo de 100 mil mulheres. No mesmo período, a taxa brasileira subiu 4,2% – de 4,1 para 4,3 homicídios a cada 100 mil.

Os menores indicadores de mortes violentas entre a população negra também foram verificados em São Paulo, no período estudado pelo Atlas da Violência. A taxa paulista sofreu expressiva redução nesse item, entre 2008 e 2018: 47,3%. O índice passou de 18,6 para 9,8 homicídios a cada 100 mil habitantes negros. A média nacional, no mesmo período, passou de 34,0 para 37,8, o que representa crescimento de 11,5%.

O número de mortes provocadas por armas de fogo apresentou a maior queda em São Paulo, entre os indicadores apresentados pelo Ipea: 53,5%. No período de dez anos avaliado pelo instituto, a taxa paulista caiu de 9,5 para 4,4 mortes por 100 mil habitantes e também é a menor do país. A média nacional subiu 5%. Era 18,8 em 2008, e chegou a 19,8 mortes por 100 mil habitantes, em 2018.

A violência contra a população LGBTI+ cresceu em São Paulo, de acordo com o Atlas da Violência. O estudo apresenta dados de 2011 a 2018 e contabilizou 274 denúncias desse tipo de crime em 2018, contra 197 em 2011, o que representa um aumento de 39,09%. Os registros englobam casos de lesão corporal, homicídio e tentativa de homicídio. A média nacional cresceu 45,38% nesse período. Foram 1.159 casos em 2011, contra 1.685, em 2018.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »